Economizar energia

  • Tape suas panelas enquanto cozinha
  • Cozinhe com fogo mínimo - Se você não faltou às aulas de física no 2º grau você sabe: Não adianta, por mais que você aumente o fogo, sua comida não vai cozinhar mais depressa, pois a água não ultrapassa 100ºC em uma panela comum. Com o fogo alto, você vai é queimar sua comida.
  • Coma menos carne vermelha - A criação de bovinos é um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa. Não é piada. Você já sentiu aquele cheiro pavoroso quando você se aproximou de alguma fazenda/criação de gado? Pois é: É metano, um gás inflamável, poluente, e megafedorento. Além disso, a produção de carne vermelha demanda uma quantidade enorme de água. Para você ter uma idéia: Para produzir 1kg de carne vermelha é necessário 200 litros de água potável. O mesmo quilo de frango só consome 10 litros .
  • Use somente pilhas e baterias recarregáveis
  • Troque suas lâmpadas incandescentes por fluorescentes - Lâmpadas fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim, você economizará 136 quilos de gás carbônico anualmente.
  • Compre alimentos produzidos na sua região - Fazendo isso, além de economizar combustível, você incentiva o crescimento da sua comunidade, bairro ou cidade.
  • Compre alimentos frescos ao invés de congelados - Comida congelada além de mais cara, consome até 10 vezes mais energia para ser produzida.
  • Desligue o computador - Muita gente tem o péssimo hábito de deixar o computador de casa ou da empresa ligado ininterruptamente, às vezes fazendo downloads, às vezes simplesmente por comodidade.. Desligue o computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o monitor por até quinze minutos.
  • Considere trocar seu monitor - O maior responsável pelo consumo de energia de um computador é o monitor. Monitores de LCD são mais econômicos, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais baratos.
Mais dicas em: http://ambienteecologico.blogspot.com/

Talheres feitos de batata

talheres de batata

Uma empresa arranjou forma de fazer talheres em batata, chamado-lhes Vegware. (Ou, em Português, Balheres?)
Estes talheres são, obviamente, biodegradáveis e muito baratos, também! Um saco com uma mistura de 10 facas, garfos e colheres custa cerca de 4.5 euros. Mas um saco com 1.000 facas, para comerciantes, custará 45 euros.
Curiosamente, estes talheres são ainda mais resistentes do que os talheres em plástico, graças ao amido das batatas.
Clique aqui para saber mais.

Fonte: www.portaldeambiente.com

Conselhos ecologicos AgriCabaz


Para que este natal seja mais verde deixamos alguns conselhos:

Antes do natal...

Reflicta bem sobre as prendas que vai oferecer e tente perceber quantas são realmente as que apresentam um significado especial para si, no sentido de evitar dar prendas só por dar; nestes casos frequentemente acabam por ser prendas pouco úteis e interessantes para quem as recebe e transformam-se rapidamente num resíduo que é necessário tratar.

Perante a sua lista definitiva de prendas procure adquirir produtos:
- Duráveis e reparáveis: hoje em dia um dos principais problemas de muitos dos produtos que consumimos prende-se com a sua filosofia de base de usar e deitar fora, o que não só sobrecarrega a nossa carteira como sobrecarrega o ambiente (mais recursos são utilizados para produzir novos produtos e mais resíduos é necessário tratar);
- Educativos: sempre que possível, principalmente se estivermos a falar de prendas para os mais pequenos, procure oferecer produtos que estimulem a inteligência, a criatividade, o respeito entre os povos e pelo ambiente;
- Inócuos em termos de substâncias perigosas: ainda que no que diz respeito às crianças já existam regras relativamente restritas, o mesmo já não acontece com outros produtos dirigidos aos adultos; pelo sim, pelo não, verifique sempre se possuem indicações relativas ao cumprimento das normas impostas pela União Europeia;
- Menos complexos: produtos que possuam menos materiais misturados são, habitualmente, mais fáceis de reciclar e reparar.
- Úteis: é importante privilegiar a oferta de prendas que não sejam colocadas imediatamente na prateleira ou em qualquer baú esquecido no sótão; pense bem antes de comprar uma prenda, procure aconselhar-se com as pessoas que estão próximas da pessoa a quem a quer oferecer.

Para a ceia de Natal comece a habituar-se a substituir o bacalhau por outra iguaria; se não consegue mesmo resistir, adquira bacalhau de média/grande dimensão; faça o mesmo em relação ao polvo (deverá ter sempre mais de 800/900 gr.). Se as dimensões mínimas fossem respeitadas não teríamos os problemas que hoje temos com a quase extinção do bacalhau.

Após o Natal

- Guarde os laços e o papel de embrulho para que os possa utilizar noutras ocasiões;
- Separe todas as embalagens – papel/cartão; plástico; metal – e coloque-as no ecoponto mais próximo, evitando assim os amontoados de lixo que marcam o dia de Natal; é aqui que poderá verificar se foi um cidadão ambientalmente consciente nas suas compras;
- Reflicta ao longo do ano sobre a utilidade que foi dada às prendas que ofereceu e aprenda com os seus erros.
- Mantenha-se solidário com as diversas campanhas que se vão desenrolando ao longo do ano; procure a sua paróquia, junta de freguesia, associações de apoio ou os serviços de acção social do seu município sempre que tiver objectos em bom estado, mas dos quais já não necessita. O que para si pode ser um resíduo pode ser um bem muito útil para outra pessoa.

E lembre-se que nós não somos aquilo que consumimos, mas o nosso consumo diz muito sobre o que somos.

Este artigo completo em http://www.agabrasil.org.br/dicas_consumonatal.htm

Receitas AgriCabaz

Tronco de Natal com castanhas






  • 1 kg castanha(s)
  • 7 dl leite
  • 200 g manteiga sem sal
  • 150 g açúcar em pó
  • 200 g chocolate culinário

1. Fazer uma incisão na casca das castanhas, em toda a volta. Depois de lavadas, deitar as castanhas em água fervente e deixar que cozam durante 10 minutos.

2. Escorrê-las e, enquanto estão ainda bem quentes, descascar completamente.

3. Levar ao lume, num tacho, completamente cobertas com leite e juntar uma pitada de sal e, deixar ferver lentamente durante 40 minutos. Escorrer, reservando o leite onde cozeram e passar as castanhas pela peneira ou passe-vite.

4. Colocar o puré das castanhas numa caçarola, em lume brando, juntar a manteiga e algumas colheres do leite que se reservou. Mexer energicamente com a colher de pau.

5. Noutro tacho, de fundo espesso, derreter o chocolate em pedaços em lume muito brando. Juntar o açúcar em pó, mexer muito bem e, por fim, incorporar o preparado das castanhas, mantendo ainda ao lume durante alguns minutos e batendo até ficar perfeitamente homogéneo.

6. Estender sobre a pedra da mesa ou mesmo sobre a mesa, uma folha de alumínio. Deitar a massa sobre ela e enrolar, devendo dar-lhe a forma de tronco.

7. Meter então no frigorífico, na zona mais fria, para solidificar. Ao fim de umas horas ou no dia seguinte, retirar a folha de alumínio, passar para uma torteira comprida, alisar toda a superfície com a lâmina de uma faca, previamente mergulhada em água quente e a seguir, cm um garfo, imitar a rugosidade do tronco.

8. Decorar com icing sugar e motivos de Natal.

Esta receita foi encontrada em http://www.petiscos.com

O que é o AgriCabaz?

O AgriCabaz é uma rede de pessoas cúmplices no apoio ao desenvolvimento das pequenas produções locais.

Estas pessoas são agricultores, artesãos, microempresários, empreendedores sociais e consumidores.

O Projecto AgriCabaz pretende:

  • proporcionar produtos de qualidade para que seja mais fácil a elaboração de refeições saudáveis.

  • contribuir para o escoamento das pequenas produções de qualidade promovendo as economias locais.

  • participar no movimento da economia solidária reforçando os compromissos com o social, o ambiente, a cultura e a justiça.


Os alimentos têm origem em dois modos de produção complementares entre si:

  • modo de produção social - agricultura familiar, economia social (cooperativas, IPSS, associações de agricultores e desenvolvimento local) , artesanato, microempresas;
  • modo de produção agrícola – agricultura biológica, agricultura tradicional, etc.

O AgriCabaz distribui os alimentos em Coimbra, Figueira da Foz e Montemor-o-velho. Conta ainda com uma loja em Coimbra na Rua Quinta das Fonsecas, Loja 2, entre o Campo do União da Arregaça e o Bº Norton de Matos.

Veja aqui como fazer encomendas online

Veja apenas os posts com os produtos á venda online

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails