Agricultura Familiar em Covas do Monte

Legumes e Frutas disponíveis para entrega ao domicílio

Alimento Calibre Modo de Produção Social Modo de Produção Agrícola Origem Preço
Maça Bravo Kg NC Agricultura Familiar Produção Integrada Cooperativa de Mangualde 0,75 €
Maça Fuji Kg 60/65 Agricultura Familiar Produção Integrada Cooperativa de Mangualde 1,00 €
Quivi Kg NC Agricultura Familiar Agricultura Tradicional Seia, Vodra 1,00 €
Batata Kg NC Agricultura Familiar Agricultura Tradicional S. Pedro do Sul: Covas do Monte 0,60 €

Nota: As entregas ao domicílio são realizadas para encomendas com um valor mínimo de 10€
Todos os valores têm o IVA incluído

Operador de Frutas e Produtos Hortícolas Frescos nº HF111737

Afectados pelas Grandes Barragens e Transvases

Caros amigos,

Está na hora de avançar com a essencial formalização perante o Estado português de uma associação ibérica já registada noutro ponto da Europa... Se fôssemos uma empresa, da Europa do dinheiro, escusávamos de ter este trabalho...

Para tal convoco a 1ª Assembleia Geral da Seccção Portuguesa da Coordenadora dos Afectados pelas Grandes Barragens e Transvases, em Mirandela às 15h00 do próximo sábado 16/02/2008, sendo o ponto de encontro a estação de comboios desta cidade.

A ordem de trabalhos é a seguinte:
1- relato do processo de instalação da COAGRET-Portugal e prospectivas
2- discussão e aprovação dos estatutos (tradução adaptada da versão espanhola)
3- inscrição de sócios fundadores e nomeação de cargos directivos interinos até às eleições de 10 Junho de 2008

Já viram a página virtual? http://coagret.wordpress.com

Convido-vos ainda para aderir, na manhã de sábado, a um programa de percusos na linha do Tua, que estamos a preparar em conjugação com o Núcleo de Estudos e Protecção do Ambiente (NEPA-UTAD). O ponto de encontro é às 9h30 na estação de comboios de Mirandela. Seguido de respectiva almoçarada-convívio, claro!

Aguardo confirmações (ou decepções) para coagret.pt@gmail.com

Pedro Felgar Couteiro
COAGRET-Portugal
Apartado 33
5350-909 Alfândega da Fé
telm.COAGRET: (+351) 969761301

Josef Climber - Motivação - Programa do Jo

Cavacas de Aldeia das Dez

As "Cavacas", os bolos típicos de Aldeia das Dez
(Concelho de Oliveira do Hospital),
resultam de um saber transmitido de geração em geração,
e têm na D. Adelina a sua mais destacada guardiã.

Os ingredientes usados para a sua confecção
são, essencialmente produtos locais:
farinha de milho (moída nos moinhos de água, porque a dos moinhos eléctricos não é recomendada),
azeite, ovos, sal e açúcar (este apenas usado para a cobertura).

José Ramiro (escritor de Chão Sobral, localidade vizinha)
dedicou alguns versos à gastronomia local, e às ...

"CAVACAS DE ALDEIA
(Bolos Regionais)

Cavacas de Aldeia
Cobertas de "neve",
A estalar na boca
Mesmo ao deleve...

Mesmo ao deleve,
Matei a saudade,
Lá longe, lá longe,
Na grande cidade.

Na grande cidade
Onde eu estava,
Sabiam a beijos,
De quem as mandava

De quem as mandava,
P'rá mesa da boda,
Eram "rosas" brancas,
Pela mesa toda!"

E ainda falando de rivalidades fraternas, com os Coscoréis de Chão Sobral:

"Os coscoréis, do meu Chão,
Os que amassam com ovos,
Ganhavam em competição,
Aos bolos de outros povos.

Aos que fazem em Alvôco,
Apesar de coisa fina.
Ou às cavacas de Aldeia,
Não sendo da D. Adelina!"

Aldeia das Dez na Internet:
http://aldeiadasdez.chaosobral.org/

Mayra de Andrade - 29 de fev Coimbra

A digressão da cantora começa no Centro Olga Cadaval, em Sintra, seguindo para Setúbal, onde actua, dia 23, no Fórum Luísa Todi.

Acompanham Mayra os seus músicos habituais, designadamente Nelson Ferreira (viola), Tarcísio Pinto Gondim (viola), Ricardo Fernando Pinto «Feijão» (baixo) e José Luís Nascimento (percussão).

De Setúbal a cantora ruma a Lisboa, subindo dia 25 ao palco do Teatro S. Luiz.

Em declarações à Lusa, Mayra Andrade prometeu «soltar a música e deixá-la contagiar as pessoas».

Nas palavras da cantora, a música cabo-verdiana que interpreta é «aberta ao mundo, não fechada em si mesma» e é «simplista» deduzir que o facto de «soar diferente da tradicional» se deve a «influência brasileira».

Mayra segue depois para Coimbra, onde actua dia 29 no Convento de São Francisco, e no dia seguinte estará em Braga, no Theatro Circo. A digressão termina dia 03 de Março no Porto, na Casa da Música.

Mayra tem actuado com regularidade em Portugal. o ano passado participou no Festival Sudoeste e no África Festival.

Aos 16 anos, em Junho de 2001, Mayra, filha de pais cabo-verdianos, nascida em Cuba, alcançou a medalha de ouro nos Jogos da Francofonia, no Canadá.

Foi o começo de uma carreira que levou já a partilhar palcos com cantores como Cesária Évora, Chico Buarque, Caetano Veloso, Ernesto Puentes e ainda com Charles Aznavour, com quem gravou um duo para o seu último disco.

«Navega», o seu álbum de estreia, editado pela SonyBMG, é composto por 13 temas escolhidos por Mayra que quer ver «sair mais cá para fora os novos poetas que escrevem em crioulo».

Mayra Andrade, 22 anos, considera que faz «parte de um leque de artistas que tem dado à música cabo-verdiana oportunidade de renovar e conquistar novos horizontes».

Diário Digital / Lusa

05-02-2008

Site oficial: Mayra de Andrade

Curiosidade

780
quilos de polvo capturado ilegalmente no rio Tejo foram apreendidos a 31 de Janeiro pela Polícia Marítima, que entregou depois o pescado ao Banco Alimentar Contra a Fome de Lisboa.

Empreender é preciso

PROGRAMA INICIATIVA

RTP 2, hoje, 7 FEVEREIRO, 19 HORAS


Se tiver oportunidade não deixe de ver, hoje 5ª feira, o programa «INICIATIVA» dedicado ao tema EMPREENDER É PRECISO e onde se falará de microcrédito e da ANDC.

Se não tiver oportunidade de ver , o programa é repetido posteriormente na RTP Internacional, RTP África e RTP N.

Divulgue junto de amigos e conhecidos.


José Centeio

Secretário-geral

Tel. 21 315 52 71

j.centeio@microcredito.com.pt

www.microcredito.com.pt

Associação Nacional de Direito ao Crédito

Associação sem fins lucrativos | Pessoa Colectiva de Utilidade Pública

Praça José Fontana, 4 - 5º 1050-129 LISBOA

Tel. 21 315 62 00 |808 202 922 | Fax. 21 315 62 02

microcredito@microcredito.com.pt

Dê o seu contributo para a Associação Nacional de Direito ao Crédito, ANDC, beneficiando das deduções fiscais que regem a lei do mecenato (NIB: 0033 0000 0023 6701 6320 5 | NIF: 504496140).

Eco Design no Coimbra Shopping

Todos os que passarem pelo Coimbra Shopping podem, agora, apreciar, uma exposição de Eco Design. Até ao próximo dia 17, a mostra prova que (quase) tudo pode ser reaproveitado.
“Os resíduos não são necessariamente algo que temos de descartar e deitar fora”. Foi com estas palavras que Alberto Parada, director do Coimbra Shopping, deu início ontem à inauguração da exposição de Eco Design.
Após o sucesso das primeiras exposições realizadas em Setembro e Outubro de 2007 – Estufa Fria em Lisboa e Museu Serralves no Porto – a mostra chegou ao Coimbra Shopping. Uma iniciativa que resulta do projecto Remade in Portugal, em parceria com a Sociedade Ponto Verde e a Sonae Sierra.
Em declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS, Alexandra Melo, assessora da Remade in Portugal, referiu que “este projecto nasceu em Itália e visa juntar designers e empresas com vista a que futuramente os produtos sejam comercializados”. Gonçalves Henriques, director da Agência Portuguesa do Ambiente, salientou que “a iniciativa foi lançada em Portugal com a finalidade de permitir a divulgação de vários produtos e promover seu impacto no público”.
Este projecto procura “incentivar as empresas nacionais para o desenvolvimento de produtos elaborados com material reciclado”, acrescentou Gonçalves Henriques.
Contudo, Roberto Cremascoli, comissário do projecto, acrescentou que a reciclagem doméstica “pode proporcionar a realização de outro tipo de objectos. Por exemplo, uma garrafa de plástico pode originar a criação de um casaco, como foi o caso de Nuno Gama”. A iniciativa “tem tido muita receptividade por parte do público” e pode ser apreciada até ao próximo dia 17, no piso I do Coimbra Shopping, sendo que “em Março terminará no Algarve Shopping”, disse por sua vez Alexandra Melo.No entanto, em meados de Abril, prevê-se “a realização do Remade 2008 que contará com a participação dos mesmos designers, e com a criação de novos objectos”, salientou a assessora.
Refira-se que nesta iniciativa participam designers como Álvaro Siza Vieira, Luís Buchinho, Nuno Gama, Eduardo Souto Moura, Pedro Silva Dias, entre outros.

Fonte: Diario das Beiras

Covas do Monte (S. Pedro do Sul) Cabras a caminho do monte

Encontrar as mimosas com “Os Serranos”

Proteger a Serra do Caramulo contra a “invasão” das mimosas é um dos objectivos da acção que “Os Serranos” vão levar a efeito no próximo dia 17. Iniciativa inclui (muito) convívio e almoço. Em Fevereiro de cada ano os vales da serra do Caramulo vestem-se com as cores verdes e amarelas do concelho de Águeda. Porque se trata de uma “atracção instantânea e fugaz tão daninha como a própria mimosa”, “Os Serranos” Associação Etnográfica do concelho, organiza uma visita aos recantos da serra e denuncia a proliferação desta espécie, apontando a melhoria através de uma presença humana mais frequente e mais intensa, bem como com a promoção dos produtos da tradição serrana.Deste modo, e à semelhança de anos anteriores, no próximo dia 17 de Fevereiro “Os Serranos” vão realizar mais uma jornada de regresso aos recantos da serra, seguindo as manchas amarelas e daninhas . “Os Serranos” organizam este raid fotográfico, que se inicia junto aos Bombeiros Voluntários de Águeda, pelas 09H00 e depois partem pelas veredas serranas, rios, fontes e aldeias milenares, descobrindo cenários candidatos aos prémios das melhores fotografias. As mimosas daninhas e filhas da desertificação e da quebra da biodiversidade natural, são o motivo desta pequena aventura. Embora proporcionem um colorido único e fugaz, “Os Serranos” não esquece que “devem ser combatidas como praga má e que o regresso das populações nativas e a visita frequente dos seus amigos constitui um destes instrumentos de luta pelo re-estabelecimento da flora arbustiva natural da encosta ocidental da serra do Caramulo”.Neste dia, o roteiro inclui o convívio com o povo serrano, na Sernada e em Lourizela, bem como com a compra do mel no Carvalhal e na prova do vinho americano em Rio de Maçãs. Quando o dia estiver a terminar, também termina a “aventura” de encontrar as mimosas. No final do dia, debaixo e entre-as--pedras do Rio de Maçãs, “Os Serranos” organizam uma merenda colectiva, com animação à mistura. Para este repasto pede-se que se abram os farnéis da partilha, que cada um deve levar, juntando-se ao americano farto na tigela do Zé Fidalgo.Durante o dia, para além das caminhadas pelos percursos pedonais, os participantes terão percorrido cerca de 70 quilómetros, pelas estradas serranas, com a organização a assegurar que todo o percurso pode ser realizado com automóvel.Para este encontro, os interessados devem efectuar a inscrição até ao próximo dia 15 deste mês, junto da Associação Etnográfica Os Serranos ou nos locais assinalados, na cidade de Águeda. A inscrição pode também ser concretizada via telefone, através dos números 234 655 109, 234 655 181, 917 526 335. A inscrição, no valor de 15 euros, por pessoa (12 euros para os sócios da Associação Etnográfica Os Serranos), inclui o almoço.

Fonte Diario Das Beiras

Covas do Monte (S. Pedro do Sul) - Cabras a caminho do Monte - Fev 2008

Renovação das Cartas de Condução

Atenção ao Novo Dec-Lei e toca a revalidar as cartas de condução antes que seja tarde de mais... Importante não esquecer no meio da vida atarefada que temos!!!

O conteúdo desta informação foi uma completa surpresa para muita gente.

"Simplesmente" em 1 Janeiro 2008 deve ignorar o prazo constante da sua carta de condução e consultar o documento que vai em anexo, procurando a data do seu nascimento e a correspondente data de revalidação do título de condução, que deve respeitar "religiosamente".

Se deixar passar 2 anos do prazo de revalidação... a carta de condução caduca de vez, e fica sem efeito!!!

Se isto acontecer e para tornar a poder conduzir é preciso efectuar novo exame de código e novo exame de condução.

O Decreto- Lei está em:

http://www.anoreca.com/ficheiros_pdf/Dl_45_05.pdf


Madelena

Sugestão da Zé Tovar:

Descai o sol nos olivais do monte.
Colhe o gado o pastor. - Das largas eiras
vêm vindo as filhas de Jacob à fonte
com seu rítmico andar, entre palmeiras.

Um rouxinol suspira num loureiro.
- É nessa hora do ocaso, meiga e terna,
Em que o sol busca o mar como um boieiro
que vem beber à boca da cisterna.


Passam Jesus e os seus. - Sião, Ramá
as nostálgicas filhas de David
dizem, na sombra, baixo: «Quem será
este suave e místico Rabi?»


Mas o sol cai nos olivais do monte
Colhe o gado o pastor. - Das largas eiras
vêm vindo as filhas de Jacob à fonte
com seu rítmico andar, entre palmeiras.

Da Galileia ao Monte de Carmelo,
as judias, da sombra no mistério,
dizem, baixo: «Que príncipe tão belo
parece ser este Rabi tão sério!»

- Ele é mais louro do que um Sol levante,
mais meigo e casto que a mansa ave!
Ele é mais belo que um rei distante!
- «Quem será pois este Rabi suave?»

Mas o sol cai nos olivais do monte
Colhe o gado o pastor. - Das largas eiras
vêm vindo as filhas de Jacob à fonte
com seu rítmico andar, entre palmeiras.

Madalena em Betânia, desatando
seu cabelo, qual fúlgido lençol,
limpa os pés do Rabi, humilde, olhando
seus olhos cheios de domínio e Sol.

Lança-lhe aos pés um bálsamo correndo,
que Judas diz: do desperdício o cúmulo.
- Mas o Rabi suave vai dizendo:
- «Triste mulher! Ungiu-me para o túmulo!»

Mas o sol cai nos olivais do monte
Colhe o gado o pastor. - Das largas eiras
vêm vindo as filhas de Jacob à fonte
com seu rítmico andar, entre palmeiras.

O lavrador, na tarde sossegada,
dos mistérios sismando sobre a origem,
vai andando e dizendo, sob a enxada:
- «Quem será o Rabi pálido e virgem?»

O pescador trigueiro das baías,
deitando a rede diz olhando o rio:
- «Quando virá o lúcido Messias?
- Quem é este Rabi louro e sombrio?»

O discípulo e apóstolo, cavado
dos jejuns, a sismar sobre a doutrina,
vai andando e dizendo: - «o Céu calado
pode criar a encarnação divina?…»

Pode o verbo ser carne? O Todo e o tudo
tornar-se a Parte? um ramo de David!
Ó Céu largo, ó Céu triste, belo e mudo!
Quem é pois, quem é pois, nosso Rabi?»

- Mas Madalena, num amargo choro,
limpa os pés do Rabi, cheia d’amor,
com seus longos cabelos feitos de ouro,
e, baixinho, soluça: - «É meu senhor!»

O Sol morreu nos olivais do Monte.
Rompe o virgem luar. - Às largas eiras
vão-se indo as filhas de Jacob, da fonte,
com seu rítmico andar entre as palmeiras.

Gomes Leal

Fonte: escritores.br

Casa do Sal | Sal da Figueira da Foz na Feira do Queijo de Seia de 2 de Fevereiro de 2008



Grafiti Japonês: Shibuya , Tokyo.

CASA DO SAL na FEIRA DO QUEIJO DE SEIA


Os sais da Casa do Sal vão estar presentes na Feira do Queijo de Seia amanhã, sábado, dia 2 de Fevereiro
Estes sais têm origem nas Salinas da Sal da Figueira da Foz , nomeadamanente na Salina Eiras Largas, localizada em Lavos.
Ao Sal Marinho Tradicional a Casa do Sal juntamos plantas condimentares, na sua maioria com origem no Casal de St Amaro, em Penacova. O resultado são surpreendentes condimentos que vão dar aos alimentos um sabor tradicional e equilibrado.

Sais da Casa do Sal presentes na Feira do Queijo de Seia:

  • Sal picante para grelhados
  • Sal para grelhados sem picante
  • Sal para banhos e pés fatigados
  • Flor de Sal Tradicional
  • Saleiro 4 Sais: com sal para grelhados picante e não picante flor de sal tradicional, sal tal qual
  • Recordação Salina Eiras Largas com sal para grelhados picante e não picante e flor de sal tradicional.
  • Sal Tal Qual
Mais informações sobre a Casa do Sal

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails