O Blogue do AgriCabaz faz 1 ano.

Com mais de 10. 000 (Dez mil) visitas o Blogue do AgriCabaz faz 1 ano.
Sentimos, que com este blogue, temos dado um pequenino contributo para uma economia mais solidária com todos os viventes, a natureza em geral.
Promovemos uma pequena rede de pessoas cúmplices no desenvolvimento de economias locais solidárias.
Desejo que esta pequena rede, continue com uma dimensão humana, mas que se aprofunde.
Desejo que nós, enquanto cidadãos que compramos alimentos (longe duma prática consumista), encontremos tempo e paciência para aceder a alimentos das nossas comunidades locais, mesmo que não biológicos, mas com práticas mais amigas do ambiente.

O AgriCabaz é um projecto que necessita do seu envolvimento, enquanto cidadão, que compra, tem opiniões, tem posições: anime-se com este projecto.

Obrigado a todos os têm consultado este blogue e que têm tido a oportunidade de adquirir alimentos no Loja do AgriCabaz em Coimbra nou na distribuição ao domicílio do AgriCabaz | à porta.

Por último, realçar o papel importante das novas tecnologias da informação, como este instrumento dos Blogues do Google, sem o qual não poderíamos chegar a tanta gente, de uma forma tão simples e barata. Sabendo que o Google não nos houve, nem vê, muito menos nos sente: obrigado, também, ao Google.

Animação Territorial - Caminhos para a Inovação Social: dia 28 de Novembro, pelas 10 h no Centro de Reuniões da FIL (Parque das Nações)

clicar na imagem para ampliar

Percursos Micológico e Roteiro Gastronómico da Gândara - Casal de S. Tomé - Mira

Clique na imagem para ampliar

Introdução à Alimentação Vegetariana - DVD editado pelo Centro Vegetariano | à venda na Loja do AgriCabaz em Coimbra

Preço: 5,46
Também enviamos pelo correio

Código de Trabalho após a sua Revisão por António Monteiro Fernandes - na ACIC em Coimbra | dia 2 de Dezembro de 2008, às 17,30h

Enguias de escabeche de Armazéns de Lavos (Figueira da Foz) no Agricabaz em Coimbra


Carlos Neves, gerente e cozinheiro do Restaurante Lota Nova 2, em Armazéns de Lavos na margem sul do Mondego, na Figueira da Foz.


O AgriCabaz, em parceria com o Restaurante Lota Nova 2 disponibiliza Enguias de Escabeche de Lavos, Figueira da Foz.
Embalagens de 100 g: 5 €
Também enviamos pelo correio

Visitantes no Espaço Agricabaz do Mercadinho do Botânico de Coimbra a 22 de Novembro de 2008

Na foto Wagner Lopes Soares a observar uma embalagem de Sal para Grelhados da Casa do Sal da Figueira da Foz

Wagner Lopes Soares, economista que está "cursando um doutorando em Saúde Pública no Brasil (FIOCRUZ) com um estágio no Ces da Universidade de Coimbra, sob a orientação do prof. Pedro Hespanha. Atualmente trabalho com custos sociais (da saúde pública) associados ao uso de agrotóxicos e pretendo desenvolver um trabalho partindo das principais barreiras para agricultura biológica como modelo de produção em escala comercial.


Silêncio Social por Osvaldo Sousa

Fiquei satisfeito ao ver um dos meus poemas na vossa pagina que gentilmente vos envio mais este que poderá ser divulgado caso entendam, obrigado
Silêncio Social

O silencio da comunidade com o favor das instituições

Eis o ambiente no bairro de guetos

Convivência arriscada entre tanta escada

A magia da juventude descriminada faz poesia

Que lembra lusofonia sem a folia

Porque o som da dança não tem valor no dom da língua

Guetizados que são visados perguntam

Associativismo onde está o teu civismo de integração

Será que foi na emoção da selecção


Autor: Osvaldo Sousa

O AgriCabaz participa na Vida Natura, integrado na representação do Mercadinho do Botânico


clique para entrar no site da Feira AgriCabaz presente na Vida Natura - Feira de Caravanismo, desporto e Lazer, naonor de 28 de Novembro a 1 de Dezembro

Integrada no Espaço do Mercadinho do Botânico o AgriCabaz vai expôr e vender os seus alimentos: Sais da Figueira da Foz, compotas, legumes e frutas.
Este Espaço do Mercadinho é uma representação da feira semanal que se realiza semanalmente no Jardim Botânico em Coimbra, das 9 às 13h.


Plano de Actividades da Feira

- Maratona de BTT

- II Nacional Indoor Snowboard Org. Snowboard Portugal

- III Exposição de Fotografias de Neve

- Capoeira, Danças Tribais, Aulas de Combat, Cycling, Danças de Salão e Hip Hop

- Fitness

- Dois Pavilhões cheios de animações

- Palco para utilização dos expositores

- Escalada

- Paintball

...e muito mais



Música de Bolso - Mariana Aydar - Un, Deux, Trois

Antes mesmo de lançar “Kavita 1” (2006), seu disco de estréia, e tornar-se sucesso de critica e público, Mariana Aydar já colaborava artisticamente em projetos dos integrantes do Música de Bolso.



Intérprete de personalidade, Mariana está sempre procurando inventar. E, para isso, abre os braços para parcerias e influências, com artistas de sua e de outras gerações, do Brasil e do exterior.



Mais do que depressa convidou o músico Duani para participar dos vídeos. E, para seu LADO A, uma bela recriação da canção “1, 2, 3”, da francesa Camille, contou também com o valiosíssimo reforço de seu pai, Mario Manga, para repetir o trio que já fora tão bem sucedido em apresentações ao vivo. E que fica aqui, pela primeira vez, devidamente registrado.

http://www.musicadebolso.com.br/videos/volume07/

Loja Terras S. Pedro do Sul

Loja Terras de São Pedro do Sul, tem como principal objectivo
escoar os produtos
regionais gerados no Concelho.

Hortículas, fruta, mel e compotas, pão e broa,
vinho, doçaria regional e artesanato,
são alguns dos produtos que poderão ser adquiridos na loja.

Possui ainda um pequeno serviço de café onde poderá degustar
algumas das especialidades regionais.







Paulo Freire - Viola Bem Temperada

Paulo Freire Contemporâneo (Parte 2)

Paulo Freire Contemporâneo (Parte 2)
Toni Venturi Listar as obras deste autor
TV Escola - Escola / Educação
Português
[me] Ministério da Educação

Paulo Freire Contemporâneo (Parte 1)



http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=99980

Só de literatura portuguesa são 732 obras : consulte o site "domínio público"

Pede-se a máxima divulgação!
ATENÇÃO !!!
DIVULGUEM ...

Uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre , mas que
está prestes a ser desactivada por falta de acessos.
Imaginem um lugar onde nós podemos gratuitamente:
· Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ;
· escutar músicas em MP3 de alta qualidade;
· Ler obras de Machado de Assis Ou a Divina Comédia;
· ter acesso às melhores histórias infantis e vídeos da TV ESCOLA e muito mais.
Esse lugar existe!


O Ministério da Educação Brasileiro disponibiliza tudo isso,

basta aceder ao site:

www.dominiopublico.gov.br

Só de literatura portuguesa são 732 obras!

Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desactivar o projecto
por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno.

Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos,
parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de
disseminação da cultura e do gosto pela leitura.

Divulguem para o máximo de pessoas!

Obrigado!

Lançamento do Livro "Anastasia"

Joanne Gribler
239 423 338 | 917 681 675

Olá a todos
Hello everyone
só para dizer que consegui publicar o primeiro livro da serie Os Cedros Ressoantes da Russia
just to say I made it! Ive published the first book of the Ringing Cedars of Russia, Anastasia

O lançamento é já esta sexta!
The celebration is on this friday!
Venham todos os que puderem e tragam muita gente, é um momento histórico!
Come all who can and bring as many people with you as possible, its an histórical moment!
Se não conseguem vir a este lançamento ainda vai haver outros quarto espalhados pelo país.
If you cant make it to this celebration there will be four more all over the country.
Enviem este maravilhoso convite a todos, porfavor, a boa nova é de facto o melhor presente do mundo.
Send this invitation to all, please, this good news is actually the best present for the whole world.

Aqui está o poster e o press release:
Here is the poster and the press release, only in portuguese but you can find out all you want about thease books at:


www.ringingcedars.com

A nossa página é www.cedrosressoantes.com
Our web page is www.cedrosressoantes.com

Um grande abraço meu, Ana Banana ou Joanne Gribler e de o meu marido Jörg Helms ( vai fazer um curso de líderes do riso este fim de semana, veja a página www.escoladoriso.com)

A big hug from me, Ana Banana or Joanne Gribler and from my husband Jörg Helms ( who by the way is doing a laughter course this weekend if you want to join see our web page www.escoladoriso.com)

Os Cedros Ressoantes da Rússia

Uma série de livros russos, uma solução mundial, uma bênção para a Humanidade


Já está à venda o primeiro livro da série Anastasia.

Esta obra está a espalhar-se pelo mundo a uma velocidade relâmpago. Já foi traduzida para mais de vinte línguas. Ela contém as respostas que a Humanidade procura há milhares de anos: Quem somos? De onde viemos? Como criar um futuro harmonioso? Qual o motivo da nossa existência? Há vida noutros planetas?

A história é um relato verídico do autor, Vladimir Megre e o seu encontro com algumas pessoas que vivem há milhares de anos escondidas na floresta siberiana. Anastasia decide que Vladimir Megre seria a pessoa ideal para trazer toda a sabedoria esquecida de volta até nós, através destes livros que ele foi incentivado a escrever.

Esta série de dez livros abrange questões sobre a educação dos nossos filhos, ecologia, história, ciência e espiritualidade entre outras.

Deixam o leitor com uma fé renovada na continuidade da Humanidade, acordam o amor pela terra, restituem os valores primordiais: água limpa, ar puro, vida saudável, famílias felizes. As pessoas estão a ficar tão inspiradas pela leitura destes livros que está a criar-se uma verdadeira comunidade mundial pro-activa. Criam-se clubes de leitores, organizações, eco-aldeias… Na Rússia até conseguiram mudar a lei e neste momento o governo está a entregar um hectómetro de terra a todos os que desejam viver nela e criar uma horta biológica.

Se estávamos á espera de um milagre, eis aqui a resposta à nossa súplica. Deixem-se levar pela beleza desta história e participem nesta mega co-criação da Humanidade.

Nós somos eternos. Só nos resta desfrutar da nossa existência.

Aqui está a info sobre os próximos lançamentos:
Here is the info on the next celebrations:
PRÓXIMOS LANÇAMENTOS:

ALBUFEIRA
22 DE NOVEMBRO, 21H
LOCAL:
Om Shanti - Centro de Yoga de Albufeira
Rua das Telecomunicações Lote 5 - 1º andar - 101
www.yogalbufeira.wordpress.com

PORTO
28 DE NOVEMBRO, 22H
LOCAL:
Pazpazes
Organismo Multidisciplinar de Cooperação, Formação e Desenvolvimento Humano
as 22:00h PORTO *Rua Antero de quental,155 ( Junto á Igreja da Lapa)

BRAGA
13 DE DEZEMBRO, 18H
LOCAL:
SEMENTE - Centro Macrobiótico de Braga
Rua José António Cruz, 64, 4715-343 Lamaçães
www.semente-cmb.com

VILA REAL
13 DE DEZEMBRO 21H
LOCAL:
BigAsas
Av. D. Dinis, loja 67 ● 5000-600 Vila Real
www.bigasas.com

Joanne Gribler
239 423 338 | 917 681 675


Joanne Gribler
239 423 338 | 917 681 675

Mais Árvores em Chão Sobral : Dia 30 de Novembro 2008

clique para ampliar a imagem

Exmos Senhores

A União Progressiva de Chão Sobral (Oliveira do Hospital)
realiza no dia 30 de Novembro - Domingo, a actividade
"Mais Árvores em Chão Sobral 2008"

Do programa consta:
10h30 Concentração no Largo da Eira de Cima,
seguida de sementeira de carvalhos nos locais
designados por "Barroca da Volta" e "Calado"
(Baldios a 700 metros de altitude - http://www.chaosobral.org/mais_arvores_upcs2008.htm ),
e plantação de árvores noutros locais junto da povoação.
Inscrições:
- até dia 28 de Novembro;
- gratuitas para todos os participantes.

A organização apela à colaboração dos participantes,
que poderão trazer árvores, por exemplo
castanheiro, carvalho, medronheiro, sobreiro ou cerejeira.



Agradecemos a divulgação desta notícia.

Com os melhores cumprimentos,

João Gonçalves

União Progressiva de Chão Sobral
Rua dos Alqueves, 8
Chão Sobral
3400 260 Aldeia das Dez
PORTUGAL
www.chaosobral.org

"Quando a Arte se torna Pública" - Conferência, amanhã dia 20 de Novembro de 2008 na Casa da Esquina

A Casa da Esquina vem por este meio convidar V. Exª para a Conferência "Quando a Arte se torna Pública" a decorrer amanhã dia 20 de Novembro pelas 21h no espaço da Casa da Esquina, na Rua Aires de Campos nº6. Agradecendo a sua presença,

Filipa Alves
(Produção Casa da Esquina)

Quando a Arte se torna Pública

No seguimento de "Chambres Rooms Zimmers" e integrada no projecto"Exercícios de Botânica", a Casa da Esquina apresenta a conferência "Quando a Arte se torna Pública"no dia 20 pelas 21h. Discute-se sobre a intervenção no espaço público com Carla Cruz (Artista Plástica), Dolores Matos (FIAR), Carlos Alberto Augusto (Coimbra Vibra!), Paulo Peixoto (CES). Esta conferência pretende reflectir não só sobre as várias formas de intervenção no espaço público como também fazer a interrogação do acto teatral. Ao mesmo tempo pretende-se cruzar as experiências dos vários projectos representados pelos intervenientes. Além da conferência, os espectadores podem ainda encontrar na Rua Aires de Campos nº 6 a exposição "Sete Olhares Sobre os Exercícios de Botânica" patente até dia 6 de Dezembro.

Conferência Quando a Arte se torna Pública, inserida no Projecto Exercícios de Botânica

Dia: 20 de Novembro, 21h

Local: Casa da Esquina

Participantes: Carla Cruz (Artista Plástica), Dolores Matos (FIAR), Carlos Alberto Augusto (Coimbra Vibra), Ricardo Correia (Casa da Esquina).

Moderador: Paulo Peixoto (CES)

Carla Cruz

1977, Vila Real, formada em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Nesse momento interessada nas questões de género na sociedade e na arte e numa forma de fazer arte mais inclusiva, procurando a participação do seu publico pela manipulação. Entre 2001 e 2003 frequento e concluo o Mestrado em Belas Artes pelo Piet Zwart Institute, Willem de Kooning Academy, Roterdão - Holanda /em colaboração com a/ Plymouth University - Reino Unido. Sendo estes anos os de viragem para projectos interactivos, em que crio eventos, situações ou plataformas em que o publico é convidado a tomar parte activa.

Tendo desde cedo colaborado e fundado diversos colectivos, entre eles: Caldeira 213, ZOiNA (Colectivo feminista de intervenção artística), Ateliers-Mentol, Identidades, Clanitica, GARBA (jovens artistas em residência, Itália), Room (Artists run Space, Roterdão); trabalho também em parceria com outros artistas: Isabel Carvalho, Pedro Nora, Catarina Carneiro de Sousa, Ângelo Ferreira de Sousa, Suzanne van Rossenberg, Nina Hoechlt, Jocelyn Cottencin, Karin de Jong, Sabine Funk, Francesco Ventrella, Cláudia Van Dick, Tina Sejberg, Mónica Faria. De momento organizo o projecto expositivo e blog All My Independent Women, dinamizo o Blog Porto Público, pertenço a um Affinity group do Forum Feminista Europeu, coordeno projectos para o Grupo de intercâmbio Artístico entre Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal – Identidades, organizo o espaço expositivo da Gesto Cooperativa Cultural no Porto e sou docente da Escola Superior de Educação de Viseu.

Dolores de Matos, 52 Anos

Nasce em Caldas da Rainha. Em 1978 conclui o Curso de Teatro no Centro Dramático de Évora - inicio da sua actividade artística. De 1984- 1999 é programadora cultural nas Câmaras Municipais de Setúbal e Palmela e coordena o Serviço Educativo (projectos artísticos) do Museu de Setúbal (1984-1994) Concebe e dirige o FIAR, Centro de Artes de Rua. Concebe com João Brites o Festival FIAR com a responsabilidade da direcção de programação e produção - 1999-2008 Coordenadora do Centro de Operações Artísticas na Expo98. Desde 2007 é consultora de programação portuguesa em Valladolid para a Fundacion Municipal de Cultura, Espanha. Responsável pelo trabalho de cooperação internacional na Plataforma Europeia INSITU, que o FIAR, Centro de Artes de Rua integra.

Carlos Alberto Augusto

Compositor português cuja actividade se centra na música para
teatro e no teatro-música. Actividade também na área da
multimédia, vídeo e comunicação intereactiva como músico e sound
designer. Trabalhou nos domínios da investigação, legislação,
normalização e controlo do ruído. Estudou comunicação. Ajudou a definir e a realizar o programa de música de Coimbra, Capital Nacional da Cultura 2003.

Paulo Peixoto

Paulo Peixoto é investigador do Centro de Estudos Sociais, integrando o Núcleo de Estudos Sobre Cidades e Culturas Urbanas, e professor de Sociologia na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, onde lecciona na licenciatura em Sociologia e no Programa de Mestrado e Doutoramento em Cidades e Culturas Urbanas. Doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, é licenciado e mestre em Sociologia pela mesma instituição.
Integra a Rede Brasil-Portugal de Estudos Urbanos, executa actualmente projectos de investigação sobre património e turismo, desenvolve actividades de extensão coordenando a avaliação de projectos de intervenção social e é Director da Ensino Superior – Revista do SNESup.É membro das Direcções do Centro de Estudos Sociais, da Associação para a Extensão Universitária e do Sindicato Nacional do Ensino Superior. Os interesses actuais de investigação centram-se nos domínios das cidades e culturas urbanas, património, turismo, e exclusão e violência urbanas.

E se Obama fosse africano? - Por Mia Couto

Os africanos rejubilaram com a vitória de Obama. Eu fui um deles. Depois de uma noite em claro, na irrealidade da penumbra da madrugada, as lágrimas corriam-me quando ele pronunciou o discurso de vencedor. Nesse momento, eu era também um vencedor. A mesma felicidade me atravessara quando Nelson Mandela foi libertado e o novo estadista sul-africano consolidava um caminho de dignificação de África.

Na noite de 5 de Novembro, o novo presidente norte-americano não era apenas um homem que falava. Era a sufocada voz da esperança que se reerguia, liberta, dentro de nós. Meu coração tinha votado, mesmo sem permissão: habituado a pedir pouco, eu festejava uma vitória sem dimensões. Ao sair à rua, a minha cidade se havia deslocado para Chicago, negros e brancos respirando comungando de uma mesma surpresa feliz. Porque a vitória de Obama não foi a de uma raça sobre outra: sem a participação massiva dos americanos de todas as raças (incluindo a da maioria branca) os Estados Unidos da América não nos entregariam motivo para festejarmos.

Nos dias seguintes, fui colhendo as reacções eufóricas dos mais diversos recantos do nosso continente. Pessoas anónimas, cidadãos comuns querem testemunhar a sua felicidade. Ao mesmo tempo fui tomando nota, com algumas reservas, das mensagens solidárias de dirigentes africanos. Quase todos chamavam Obama de "nosso irmão". E pensei: estarão todos esses dirigentes sendo sinceros? Será Barack Obama familiar de tanta gente politicamente tão diversa? Tenho dúvidas. Na pressa de ver preconceitos somente nos outros, não somos capazes de ver os nossos próprios racismos e xenofobias. Na pressa de condenar o Ocidente, esquecemo-nos de aceitar as lições que nos chegam desse outro lado do mundo.

Foi então que me chegou às mãos um texto de um escritor camaronês, Patrice Nganang, intitulado: "E se Obama fosse camaronês?". As questões que o meu colega dos Camarões levantava sugeriram-me perguntas diversas, formuladas agora em redor da seguinte hipótese: e se Obama fosse africano e concorresse à presidência num país africano? São estas perguntas que gostaria de explorar neste texto.

E se Obama fosse africano e candidato a uma presidência africana?

1. Se Obama fosse africano, um seu concorrente (um qualquer George Bush das Áfricas) inventaria mudanças na Constituição para prolongar o seu mandato para além do previsto. E o nosso Obama teria que esperar mais uns anos para voltar a candidatar-se. A espera poderia ser longa, se tomarmos em conta a permanência de um mesmo presidente no poder em África. Uns 41 anos no Gabão, 39 na Líbia, 28 no Zimbabwe, 28 na Guiné Equatorial, 28 em Angola, 27 no Egipto, 26 nos Camarões. E por aí fora, perfazendo uma quinzena de presidentes que governam há mais de 20 anos consecutivos no continente. Mugabe terá 90 anos quando terminar o mandato para o qual se impôs acima do veredicto popular.

2. Se Obama fosse africano, o mais provável era que, sendo um candidato do partido da oposição, não teria espaço para fazer campanha. Far-Ihe-iam como, por exemplo, no Zimbabwe ou nos Camarões: seria agredido fisicamente, seria preso consecutivamente, ser-Ihe-ia retirado o passaporte. Os Bushs de África não toleram opositores, não toleram a democracia.

3. Se Obama fosse africano, não seria sequer elegível em grande parte dos países porque as elites no poder inventaram leis restritivas que fecham as portas da presidência a filhos de estrangeiros e a descendentes de imigrantes. O nacionalista zambiano Kenneth Kaunda está sendo questionado, no seu próprio país, como filho de malawianos. Convenientemente "descobriram" que o homem que conduziu a Zâmbia à independência e governou por mais de 25 anos era, afinal, filho de malawianos e durante todo esse tempo tinha governado 'ilegalmente". Preso por alegadas intenções golpistas, o nosso Kenneth Kaunda (que dá nome a uma das mais nobres avenidas de Maputo) será interdito de fazer política e assim, o regime vigente, se verá livre de um opositor.

4. Sejamos claros: Obama é negro nos Estados Unidos. Em África ele é mulato. Se Obama fosse africano, veria a sua raça atirada contra o seu próprio rosto. Não que a cor da pele fosse importante para os povos que esperam ver nos seus líderes competência e trabalho sério. Mas as elites predadoras fariam campanha contra alguém que designariam por um "não autêntico africano". O mesmo irmão negro que hoje é saudado como novo Presidente americano seria vilipendiado em casa como sendo representante dos "outros", dos de outra raça, de outra bandeira (ou de nenhuma bandeira?).

5. Se fosse africano, o nosso "irmão" teria que dar muita explicação aos moralistas de serviço quando pensasse em incluir no discurso de agradecimento o apoio que recebeu dos homossexuais. Pecado mortal para os advogados da chamada "pureza africana". Para estes moralistas - tantas vezes no poder, tantas vezes com poder - a homossexualidade é um inaceitável vício mortal que é exterior a África e aos africanos.

6. Se ganhasse as eleições, Obama teria provavelmente que sentar-se à mesa de negociações e partilhar o poder com o derrotado, num processo negocial degradante que mostra que, em certos países africanos, o perdedor pode negociar aquilo que parece sagrado - a vontade do povo expressa nos votos. Nesta altura, estaria Barack Obama sentado numa mesa com um qualquer Bush em infinitas rondas negociais com mediadores africanos que nos ensinam que nos devemos contentar com as migalhas dos processos eleitorais que não correm a favor dos ditadores.

Inconclusivas conclusões

Fique claro: existem excepções neste quadro generalista. Sabemos todos de que excepções estamos falando e nós mesmos moçambicanos, fomos capazes de construir uma dessas condições à parte.

Fique igualmente claro: todos estes entraves a um Obama africano não seriam impostos pelo povo, mas pelos donos do poder, por elites que fazem da governação fonte de enriquecimento sem escrúpulos.

A verdade é que Obama não é africano. A verdade é que os africanos - as pessoas simples e os trabalhadores anónimos - festejaram com toda a alma a vitória americana de Obama. Mas não creio que os ditadores e corruptos de África tenham o direito de se fazerem convidados para esta festa.

Porque a alegria que milhões de africanos experimentaram no dia 5 de Novembro nascia de eles investirem em Obama exactamente o oposto daquilo que conheciam da sua experiência com os seus próprios dirigentes. Por muito que nos custe admitir, apenas uma minoria de estados africanos conhecem ou conheceram dirigentes preocupados com o bem público.

No mesmo dia em que Obama confirmava a condição de vencedor, os noticiários internacionais abarrotavam de notícias terríveis sobre África. No mesmo dia da vitória da maioria norte-americana, África continuava sendo derrotada por guerras, má gestão, ambição desmesurada de políticos gananciosos. Depois de terem morto a democracia, esses políticos estão matando a própria política. Resta a guerra, em alguns casos. Outros, a desistência e o cinismo.

Só há um modo verdadeiro de celebrar Obama nos países africanos: é lutar para que mais bandeiras de esperança possam nascer aqui, no nosso continente. É lutar para que Obamas africanos possam também vencer. E nós, africanos de todas as etnias e raças, vencermos com esses Obamas e celebrarmos em nossa casa aquilo que agora festejamos em casa alheia.

Jornal "SAVANA" - 14 de Novembro de 2008

Caminho do Xisto em Miranda do Corvo

clique na imagem para ampliar

Será inaugurado no próximo dia 23 de Novembro, na Aldeia do Xisto do Gondramaz, no concelho de Miranda do Corvo, o percurso pedestre “Gondramaz Acessível” desta bela localidade da encosta Oeste da Serra da Lousã.

O percurso foi projectado tendo em vista a máxima acessibilidade possível, com a finalidade de possibilitar a sua utilização por pessoas portadoras de incapacidade.

O Mistério da Cidade de HIC-HEC-HOC: em cena na Oficina Municipald e Teatro

Uma nova produção infantil do Teatrão - O Mistério da Cidade de Hic Hec Hoc, umtexto inédito escrito para O Teatrão por António Torrado, a partir da novela Doutor Ox, de Júlio Verne.

Hic-Hec-Hoc é uma cidade onde tudo se faz e acontece muito devagar. Os seus habitantes são confrontados pelo presidente com a necessidade de iluminação pública, como sinónimo de progresso. Chega à cidade o peculiar Dr. OX, contratado para a sua instalação. De um momento para o outro Hic-Hec-Hoc transforma-se numa cidade frenética, acelerada.
Uma velha questão territorial com uma cidade vizinha vai transformar-se numa guerra fratricida e espera-se o pior…

Desde 15 de Novembro a 3 de Janeiro, de segunda a sexta-feira com sessões para público escolar e aos sábados às 17h, para público geral.

O Teatrão
Oficina Municipal do Teatro, Rua Pedro Nunes
3030-199 Coimbra
Telef: 239 714 013 / Telm: 914 617 383
http://oteatrao.blogspot.com/
geral@teatrao.com

Oficina de Tango em Vouzela: 29 de Novembro a 1 de Dezembro

As Associações Espíritos Inquietos e a ADRL organizam esta Oficina de Tango, cujo animador é Júlio Piscarreta, formador credenciado de Tango.
Vai ser na Escola Básica Integrada de Vouzela, terminando no dia 1 de Dezembro com um Baile, pelas 16 h.


clique na imagem para ampliar

AgriCabaz no Seminário sobre o Terceiro Sector promovido pela Fundação Bissaya Barreto, em Coimbra | 24 e 25 de Novembro de 2008

José João Rodrigues, promotor do AgriCabaz vai fazer uma intervenção intitulada " O Empreendedorismo Localmente Instalado: Contextos e Desafios" no Seminário "Terceiro Sector: Um parceiro Activo na Regulação da Política Económica e Social".
Este Seminário, promovido pela Fundação Bissaya Barreto decorre nos dia 24 e 25 de Novembro no Auditório Bissaya Barreto localizado no Campus do Conhecimento e da Cidadania, em Bencanta, Coimbra.

Mais informações
-Sobre o Seminário:
Secretariado: Cristina Almeida - cristinaalmeida@isbb.pt
Tel: 239 800 450

- Sobre o AgriCabaz
José João Rodrigues
912434316
agricabaz@gmail.com

Mensagem da Directora do Instituto Superior Bissaya Barreto

Constituindo um sector económico distinto dos sectores público
e privado lucrativo, integrando realidades sociais heterogéneas
e por vezes difusas e sendo constituído por uma diversidade de
organizações, multiplicidade de formas e áreas de actuação, o
terceiro sector adquire na sociedade actual um protagonismo
inquestionável, já que traduz um auxiliar importante para
impulsionar a política macro-económica, nos domínios do
desenvolvimento económico, do incentivo ao emprego e do
combate à exclusão social.
Não obstante toda esta actuação de relevo, permanecem em
reflexão questões que urge debater, por forma a maximizar a
função produtiva, reguladora e mesmo distributiva que estas
organizações assumem e que as distinguem de outras práticas
de actividade económica. Salienta-se por esta via a necessidade
de equacionar os novos desafios, que atravessam em geral a
sociedade contemporânea e a obrigatoriedade de os articular
com este sector, em particular, emergindo como centrais,
preocupações relacionadas com a implementação de princípios
de qualidade, com a procura de mecanismos para
viabilização/sustentabilidade económica das organizações, com
as novas respostas a grupos sociais vulneráveis, entre outras.
O presente seminário pretende neste sentido constituir-se como
um espaço privilegiado de reflexão para conhecimento e análise
de resultados do terceiro sector, bem como para projectar as
oportunidades que este sector engloba.
Helena Reis

AgriCabaz presente na Loja Viva Doce em Ervedal, Quiaios, junto à Fábrica de Enchidos Cevadas


Artesanato alimentar está à venda na Loja Viva Doce. Este Artesanato Alimentar é o resultado de parcerias entre o AgriCabaz e microproduções promovidas por artesãos cujos saberes tradicionais conferem aos seus alimentos sabores autênticos e únicos das suas regiões de origem.


Localização da Loja Viva Doce

Resultados do IX Festival de Sopas da Serra da Estrela

VENCEDORES IX FESTIVAL DE SOPAS DA SERRA DA ESTRELA


MELHOR SOPA DO FESTIVAL


Sopa de Água com Caça e Plantas Bravias

Junta de Freguesia de Juncais


MELHOR SOPA DAS INSTITUIÇÕES/ COLECTIVIDADES


Caldo de Linhaça

Associação de Promoção Social e Recreativa de Juncais



SOPAS DE CASTANHAS


1º Prémio – Sopa Quente de Outono

Centro de Emprego e Formação Profissional de Seia


2ª Prémio – Sopa de S. Martinho

Maria Ascensão Marques Mendes Martinho


3º Prémio – Creme de Castanhas com Cogumelos

Associação Popular de S. Martinho



OUTRAS SOPAS


1º Prémio – Sopas Grossas à Moda das Ceifas

Junta de Freguesia de Vila Franca da Serra


2º Prémio – Sopa à Pastor

Associação Empresarial de Seia


3º Prémio – Sopa de Outono

VivaVentura


PROFISSIONAIS DE RESTAURAÇÃO


1º Prémio – Sopa de Truta

Restaurante Guarda – Rios


2º Prémio – Creme de Pombos com Alecrim

Restaurante Abrigo das Courelas


3º Prémio – Sopa do Campo

Restaurante Glaciar


______________________________________________________

Sopas a Concurso


ECO-SOPA OU UMA BOA SOPA DE LEGUMES

Jardim de Infância de Gouveia


SOPA DA PEDRA À MODA DO BARÃO

Manuel Braz Tavares


SOPA DE GRÃO À MODA DA FEIRA DA CARRAPICHANA

Comissão de Melhoramentos da Carrapichana


SOPA DE TRUTA/ SOPA DE PEIXE

Restaurante O Jardim


SOPA DE FEIJOCAS COM ENCHIDO SERRANO

Associação Comercial de Gouveia, Seia e Fornos de Algodres


SOPA DAS ESTRELINHAS

Maria José Respeita Mendes


SOPA DE S. MARTINHO

Maria Ascensão Marques Mendes Martinho


SOPA DE TRUTA

Restaurante Guarda-Rios


SOPA DE FEIJÃO À PASTORA

Rancho Folclórico de Paranhos da Beira


SOPA DE OUTONO

Luzia Nogueira Rodrigues Henriques


SOPA DO VIRIATO

Graça Maria Nogueira Rodrigues Saraiva


SOPA À CAMPONÊS

Armindo Serafim Mendes Cardoso


SOPAS GROSSAS À MODA DAS CEIFAS

Junta de Freguesia de Vila Franca da Serra


SOPA DE BORREGO COM COGUMELOS

Regina dos Santos R. Cardoso


CREME DE POMBOS COM ALECRIM

Restaurante Abrigo das Courelas


SOPA DE GRÃO À AGRICULTOR

Maria Helena M. Cardoso


SOPA DE OUTONO

VivaVentura


SOPA DE GRÃO À MODA DA FEIRA DA CARRAPICHANA

Freguesia da Carrapichana


SOPA ESTRELAS DA HORTA/ SOPA VERDE COM LETRAS

Escola Secundária com 3º CEB de Gouveia


SOPA DO CAMPO

Restaurante Glaciar


CREME DE CASTANHAS E COGUMELOS

Associação Popular de S. Martinho


SOPA DE RABO DE BOI

Regina Maria Duarte Vinagre


CREME DE LEGUMES COM CALDO VERDE

Associação de Beneficência Cultural e Recreativa da Freguesia de Lagarinhos


SOPA À PASTOR

Associação Empresarial da Serra da Estrela


CALDO DE LINHAÇA

Associação de Promoção Social e Recreativa de Juncais


SOPA DE ÁGUA COM CAÇA E PLANTAS BRAVIAS

Junta de Freguesia de Juncais


SOPA QUENTE DE OUTONO

Centro de Emprego e Formação Profissional de Seia


SOPA DE LEGUMES COM CARNE

AFACIDASE


SOPA DE FARINHEIRA COM FEIJÃO VERDE

Comissão de Pais da EB1 de S. Pedro

Na Loja do AgriCabaz em Coimbra está à venda o Livro das Sopas da Serra da Estrela que reúne as receitas das sopas que foram premiadas nos últimos anos.

Feira da Agricultura Familiar e Tradicional de Penela - fotografias da feira do Rabaçal de 15 de Novembro de 2008 com magusto e água pé








Pipo com água-pé






O AgriCabaz tem o seu AgriCabaz | mimo do Rabaçal / Penela para este Natal de 2008. Pode fazer as suas encomendas desde já para:
239 405 446
912434316
agricabaz@gmail.com



AgriCabaz | mimo do Rabaçal /Penela




LinkWithin

Related Posts with Thumbnails