Programação "O Teatrão" Julho 2009


O Teatrão
Oficina Municipal do Teatro
Rua Pedro Nunes, 3030-199 Coimbra
Telef: 239 714 013
Telm: 914 617 383

http://oteatrao.blogspot.com/
geral@teatrao.com

Iniciação ao Clown | 11 de Julho de 2009 !


Data: 11 de Julho de 2009

Horário: 09h00m – 13h00m

Local: Centro Social Paroquial da Vera Cruz

Edifício Padre Fernandes

Sá - Barrocas

Aveiro

Videos de como fazer uma horta na cidade ou numa varanda de um apartamento

Pequena horta caseira - ver artigo Como construir uma horta na varanda



Horta na cidade



Alguns temperos que podem ser cultivados em casas e apartamentos

Livro da escola da Quinta Grande “Uma Aventura Ecológica”

Foi em clima de grande festa que foi ontem lançado o livro “Uma Aventura Ecológica”, da autoria dos alunos da escola do 1.º ciclo com pré-escolar da Quinta Grande. A ideia surgiu no âmbito do Projecto Educativo de Escola e do Eco-Escolas e envolveu alunos e professores numa história sobre a importância da agricultura biológica. A ilustração ficou a cargo de alguns alunos do terceiro e quarto ano.

Com 800 exemplares publicados, a história será distribuída gratuitamente pelas escolas de Câmara de Lobos e de outros concelhos, mas também irá ser distribuída pelas escolas do continente que estão integradas no Eco-Escolas.

Presente na grande festa, o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais afirmou estar «encantado», não só pelo trabalho que aquela escola tem desenvolvido, mas também pelo facto do livro apelar aos valores familiares e também à importância social e ambiental da agricultura biológica.

Manuel António Correia ficou novamente «encantado» com a encenação da peça e apelou a alunos, professores e às entidades competentes para que este trabalho ultrapasse as paredes daquela escola e percorra os estabelecimentos de ensino da Madeira, «de maneira a que estes alunos mostrem o seu trabalho a toda a Região».

O presidente da autarquia de Câmara de Lobos, Arlindo Gomes, mostrou-se também satisfeito pelo facto de o concelho ser o único no país que tem todas as escolas com a bandeira verde hasteada. Deste modo, pediu às crianças que continuem este trabalho em prol do ambiente «dando uma lição aos adultos».

Fonte: http://www.jornaldamadeira.pt/

Investigadores da Universidade de Coimbra divulgam tecnologia para torres eólicas no Brasil

Investigadores da Universidade de Coimbra apresentam na próxima semana, no Ceará, Brasil, uma "inovadora técnica de construção de torres metálicas para fábricas eólicas", que poderá reduzir até 40 por cento o preço do equipamento, segundo fonte do sector.

Através da aplicação de aço de alta resistência, o projecto pretende "fazer nascer uma nova geração de torres, mais leves, fáceis de transportar e, portanto, mais económicas", informou em comunicado o presidente do Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Luís Simões da Silva, principal responsável pelo projecto sobre torres de aço super-resistentes para turbinas eólicas, sublinhou que a tecnologia contempla torres "com uma altura entre os 80 e os 120 metros".

Para Armando Abreu, director-geral da Braselco, empresa de serviços com sede em Fortaleza e actuação nas áreas de projectos, assessoria e consultoria em energias renováveis, "a inovação representa um significativo avanço para o sector".

"Essa nova tecnologia vai permitir a substituição das tradicionais 'flanges', utilizadas na união das secções de torres metálicas de aerogeradores eólicos, por peças construídas em aço S460, de alta resistência e mais baratas", resumiu.

Aquele empresário estima uma economia "de 30 a 40 por cento" no preço das torres, que custam até 1,2 milhões de reais (437 mil euros).

Para Simões da Silva, o trabalho desenvolvido "mostra claramente que a Universidade não faz investigação abstracta mas sim de utilização prática".

(Continuar a ler)

Marcha Mundial das Mulheres | Assembleia de Coimbra | Escola Superior Agrária de Coimbra | Dia 27 de Junho | 15 h

Rota da Pena | S. Pedro do Sul | Cova do Rio - Pena | 5 de Julho de 2009

Workshop "Prevenção de Acidentes no 1º Ano de Vida" | 1 de Julho 2009 | 20 h às 22,30h | Centro de Bebés à Vista

Olá!

O Centro Bebés à Vista vai realizar um Workshop intitulado "Prevenção de Acidentes no 1º Ano de Vida" orientado pela APSI (Associação para a Promoção da Segurança Infantil).
Este evento está marcado para o dia 1 de Julho das 20h00 às 22h30.
É destinado, sobretudo, a casais à espera de bebé e pais de bebés até 1 ano de vida.

"Mais de 75% dos acidentes com crianças dos 0 aos 4 anos acontecem em casa. Todos os dias chegam às urgências dos hospitais crianças vítimas de acidentes como quedas, queimaduras, afogamentos, asfixia ou intoxicação por medicamentos e tóxicos." APSI
Contudo, a maioria destes acidentes pode ser evitada!
Os pais ou futuros pais terão oportunidade de ver esclarecidas as suas dúvidas sobre a segurança do bebé, quer seja em casa, na escola ou no transporte.
Irão tomar conhecimento dos vários perigos possíveis, como os prevenir e como desenvolver estratégias que optimizem a segurança das crianças.
As inscrições devem ser feitas até ao dia 27 de Junho com pagamento antecipado.
O valor da inscrição é de 25€ por pessoa ou de 35€ por casal.
O pagamento deverá ser feito no Centro Bebés à Vista ou por transferência bancária com envio do comprovativo.
NIB Bebés à Vista - 0010 0000 3976 9000 001 87
A realização deste workshop está dependente de um número mínimo de inscrições.
Caso este workshop seja adiado o valor pago será devolvido.
Caso tenha alguma dúvida não hesite em contactar-nos.

Cumprimentos maternais!!

--
Bebés à Vista - Centro Pré e Pós-Parto
Rua General Humberto Delgado, 448
3030-327 Coimbra
Tel/Fax - 239 781 346
Tlm - 964 339 032
www.bebesavista.com
Av. Fernão de Magalhães, 619, loja 20
3000-178 COIMBRA
Tel/Fax: 239 718 164

I Vinália | Penela: Podentes | 27 a 29 de Junho de 2009

clique na imagem para ampliar

Michael Jackson morreu ontem (Quinta Feira) de ataque cardiaco tinha 50 anos - Fica uma pequena biografia

Michael Jackson faleceu esta quinta-feira, por volta das 20h (hora de Lisboa), no Centro Hospitalar da Universidade da Califórnia, para onde tinha sido transportado de urgência após ter tido problemas cardíacos na sua casa em Holmby Hills, Los Angeles.

O "Rei da Pop" tinha 50 anos e preparava-se para uma monumental digressão de despedida ("This Is It") composta por 50 concertos em Londres, na O2 Arena, a decorrer entre 13 de Julho de 2009 e 6 de Março de 2010.

Termina assim, de forma trágica, a história de um cantor que se tornou uma das mais importantes figuras da cultura pop do século XX. Nascido em Gary, Indiana, a 29 de Agosto de 1958, iniciou uma carreira profissional, aos 11 anos, com quatro dos seus nove irmãos no grupo The Jackson 5, estrelas grandes no universo Motown dos anos 70, e o primeiro grupo de adolescentes a cativar de igual forma público branco e negro.

Já a solo, deu o primeiro grande passo para se tornar uma estrela mundial com o álbum "Off the Wall", em 79. Ajudado por Quincy Jones, Paul McCartney e Stevie Wonder, por exemplo, Jackson conseguiu ter cinco singles no top americano e o álbum vendeu cerca de 20 milhões de exemplares. Aquilo que "Off the Wall" anunciava, "Thriller", em 1982, concretizava.

"Thriller" tornou realidade todos os sonhos da indústria discográfica: sete das suas nove canções sairam como single e entraram no top, a MTV apanhava a boleia e lançava-se, muito à custa do vídeo do tema 'Thriller' realizado por John Landis, e o álbum tornou-se o mais vendido de sempre, com cerca de 109 milhões de cópias em todo o mundo.

"Thriller" deu início a uma espécie de super-liga da pop, na qual poucos artistas até hoje conseguiram entrar, e tornou Jackson todo-poderoso. Foi nestes anos que Jackson afirmou não só a sua música, mas uma série de coreografias que fizeram escola, a mais famosa de todas, o passo 'moonwalk'.

"We Are the World", a canção que escreveu em 1985 com Lionel Richie, e os álbuns seguintes, "Bad", de 87, e "Dangerous", de 91, iriam cimentar tudo isto. "Bad" teve cinco singles em primeiro lugar do top americano, e vendas de 30 milhões. "Dangerous" vendeu 32 milhões (a digressão respectiva passou por Portugal a 26 de Setembro de 1992 no Estádio de Alvalade).

A partir dos anos 90, a música deu lugar ao "Wacko Jacko", a um circo mediático que incluiu acusações de abuso sexual de menores, confissões de que ele próprio sofrera abusos do pai em criança, a descoloração da sua pele, as inúmeras operações plásticas, o chipanzé Bubbles, os seus dois casamentos (um dos quais com Lisa Marie Presley) e três adopções, a máscara de veludo, o declínio das suas finanças (apesar dos 750 milhões de albuns vendidos e de contratos milionários).

O seu último álbum de estúdio, "Invincible", saiu em 2001, mas dele pouco há para contar. Na história da pop, Michael Jackson foi a maior estrela a solo de todos os tempos. Na história pop, foi um Peter Pan trágico que morreu longe de Neverland.

Fonte: Expresso

Entretanto Polícia de Los Angeles vai iniciar uma investigação para apurar as causas da morte

As circunstâncias da morte de o cantor pop Michael Jackson vão ser investigadas pela Polícia de Los Angeles, segundo o jornal local "Los Angeles Times". A participação da polícia no caso se dá porque ainda não está claro o que causou a morte de Jackson.

Detetives do departamento de roubo e homicídio abriram a investigação, mas deixaram claro que, até o momento, não há nenhuma evidência de crime no caso. Os detetives vão conversar com parentes e amigos , além dos médicos que vinham acompanhando o cantor, a fim de determinar a causa da morte.

Fonte: http://g1.globo.com/

Em Alcácer do Sal - PIMEL’09 premeia e Mostra petiscos, doces e Mel de Alcácer


Dedicada ao Estuário do Sado, este ano a PIMEL volta a apostar na promoção das iguarias locais. Até domingo, os visitantes podem provar a gastronomia típica, a doçaria regional e muitos outros petiscos nas 20 tasquinhas e nos 13 doceiros que estão no certame. Dedicada ao Estuário do Sado, este ano a PIMEL volta a apostar na promoção das iguarias locais. Até domingo, os visitantes podem provar a gastronomia típica, a doçaria regional e muitos outros petiscos nas 20 tasquinhas e nos 13 doceiros que estão no certame.

Sexta-feira, dia 26, pelas 18h30, arranca o concurso de petiscos “Ao Sabor do Sado” e, uma hora depois, tem início o concurso de doçaria. Já domingo, dia 28, às 15h, tem lugar o concurso de Mel.

Porque a PIMEL vai além da gastronomia, do programa fazem também parte eventos equestres, seminários, e concertos a cargo de Stone Slaves (dia 24), Abba Tribute (dia 25), Paulo Gonzo (dia 26), Canta Bahia (dia 27) e Xutos e Pontapés (dia 28). O programa detalhado está disponível em www.cm-alcacerdosal.pt.

Fonte: http://www.rostos.pt/

Todos ao Choupal no fim-de -semana de 26,27 e 28 de Junho!

Programação do IV Coimbra Dança


26 de Junho


22:00h – 00:00h - Pátio da Inquisição

proposta Artística: LADROES DE DEUS [instalação vídeo]

por: Pedro Sena Nunes e João Ribeiro

#O livro «A Colher de Samuel Beckett» de Gonçalo M. Tavares, relaciona o papel do actor com o público e serve de ponto de partida para a criação de um filme composto por pintura, música e texto, que procura trabalhar a divinização do esvaziamento do divino, ou seja, a crítica que é o processo contemporâneo de prestação de serviços divinos pelos falsos profetas, como contraponto a uma sociedade faminta de referências, valores, dentes afiados, padrinhos, submissão.”

27 de Junho


18:30h - Parque Verde do Mondego

Proposta Artística: ART II MOTION [Workshop]

Por: Mercedes Boronat [Espanha]

Público-alvo: actores, bailarinos, artistas e público em geral.

Workshop intensivo dirigido a actores, bailarinos e artistas sensíveis, em busca da sua linguagem pessoal de movimento, expressão e criação.

Mercedes Boronat é coreógrafa e pedagoga há vinte anos lecciona cursos de dança e teatro.

O seu método parte da improvisação guiada para liberar o movimento interno de cada um e trazê-lo a superfície.

22:00h – 00:00h | Pátio da Inquisição

Proposta Artística: LADROES DE DEUS [instalação vídeo]

Por: Pedro Sena Nunes e João Ribeiro

22:00h - Deambulação desde o Pátio da Inquisição até ao Jardim da Manga

Proposta Artística: BAILE DOS CANDEEIROS

Companhia: Radar 360º

“Todos nós temos um universo mágico que carregamos da nossa infância.

Inspirados em rituais e tradições que remontam ao final dos anos 60, fomos buscar inspiração para esta criação, ao famoso: “Baile dos cinco candeeiros”.

Originalmente criado na Foz do Douro, este baile era local de convívio, local de encontro, de amores, de danças e aventuras.

No seu interior, muito mais do que cinco candeeiros a petróleo iluminavam o espaço, no Gira-Discos a 33 rotações passavam as músicas da moda...

Candeeiros humanos, autónomos, espalhados por pontos estratégicos.

Ganham características dos espaços que habitam.

Acendem, apagam, respiram, dançam, interagem, reagem...”

22:30h - Jardim da Manga

Proposta Artística: MEMÓRIA DE PEIXE

Companhia: CIA.CIM

Projecto experimental composto por dois dos intérpretes da Companhia Integrada Multidisciplinar ambos com deficiência motora, e dois bailarinos profissionais.”

23:00h - Deambulação desde o Jardim da Manga até à Praça 8 de Maio

Proposta Artística: BAILE DOS CANDEEIROS

Companhia: Radar 360º

23:30h - Praça 8 de Maio

Proposta Artística: ROMANCES DE PEREGRINO

Por: Eduardo Ramos e Pedro Jóia

“Um espectáculo original do grupo Ensemble Moçárabe que junta a música portuguesa com influências árabes e do fado, onde Eduardo Ramos introduz os instrumentos africanos como o berimbau e o kissanji. Com a participação especial do grande guitarrista PEDRO JÓIA, que habitualmente toca com grandes nomes como Ney Mato Grosso e Bobby Mac Ferin, tendo sido agraciado com o prémio Carlos Paredes para o melhor disco instrumental de 2008.

Neste espectáculo participa ainda a bailarina Carolina Ramos que interpretará as melodias árabes com a dança oriental. “


28 de Junho


18:30h - Pátio da Inquisição

Proposta Artística: PIANO FORTÍSSIMO

Por: Jordi Vidal [Bélgica]

“Quando o espectáculo está prestes a ser cancelado, alguém aparece pare ajudar.

Será que ele é capaz de salvar a noite?

Ele só possui sua espontaneidade e seu corpo.

Em Piano Fortíssimo tanto o bailarino quanto o espectador parecem estar continuamente trocando os pés.

Vidal é um bom observador e realiza-se em um espelho para o rosto das pessoas.

Subtilmente ele consegue mostrar uma série de emoções, levantando uma sobrancelha ou até ao tremer do dedo mindinho”

19:00h - Pátio da Inquisição

Proposta Artística: CUADRA T

Por: Natxo Montero e Álvaro Esteban [Espanha]

“Caminhos enfrentados por casualidade, sem motivo.

Tu não, eu tão pouco.

Nem para trás, nem para frente, assim não se pode.

Queres seguir?.........eu também

Vamos juntos!!!”

Fonte: www.hardmusica.pt/

Cascais pioneiro em Portugal na avaliação da “Pegada Ecológica”


Cascais é o primeiro concelho em Portugal a conhecer a sua “Pegada Ecológica” (área necessária a cada pessoa para produzir o que consome e absorver os resíduos que produz), conforme um estudo realizado pela Agenda Cascais 21 em colaboração com o Centro de Estudos e Estratégias para a Sustentabilidade (CESTRAS).

“Ao sermos pioneiros na avaliação da nossa Pegada Ecológica estamos, mais uma vez, em condições de nos anteciparmos na adopção de medidas destinadas a proteger o ambiente e promover o desenvolvimento sustentável do concelho, alcançando o estatuto de referência nesta matéria”, afirma Carlos Carreiras, vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais.

No estudo da Pegada Ecológica consideram-se variáveis como alimentação, mobilidade e transportes, habitação, bens de consumo e serviços. A área calculada corresponde a uma área abstracta (o hectare global), que permite relacionar, numa mesma unidade, hectares com produtividade biológica diferente.

A Pegada Ecológica de Cascais é de 5.2 hectares globais (mais 18% do que a média nacional - 4.4) e um pouco acima da média da União Europeia (4.7). Está abaixo de cidades como Marin (10.9) e Sonoma (9.02), nos Estados Unidos, Calgary (9.86), no Canadá, Vistoria (8.1), na Austrália e Londres (6.63).

Os dados referentes à pressão/impacto que cada pessoa exerce no meio ambiente permitem ao município de Cascais ficar melhor preparado para tomar as decisões adequadas ao desenvolvimento sustentável do Concelho.

Fonte: www.nauticapress.com

Agromuseu da Ortigosa inaugura sábado

O Agromuseu Dona Julinha, localizado na freguesia de Ortigosa, concelho de Leiria, é inaugurado no próximo sábado. Mais do que uma casa de recolha, investigação e exposição de materiais museológicos, o Agromuseu Dona Julinha, foi construído a pensar num novo espaço cultural onde as pessoas poderão observar e viver momentos interactivos e experimentais.

O projecto pretende apresentar a vida quotidiana de uma casa agrícola da região. Um conceito diferente onde serão utilizados os recursos naturais através da realização de actividades pedagógico-didácticas e produção biológica.


Insere-se na rede museológica para Leiria que a autarquia está a desenvolver. O Agromuseu resulta da doação do espaço à câmara de Leiria e contou com o apoio financeiro do Programa LEADER + e Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura.

Localizado a 12 quilómetros de Leiria, o Agromuseu irá oferecer aos visitantes actividades permanentes através de visitas guiadas a um circuito museológico que fornece toda a informação sobre a vida rural.
Uma visita ao campo

A tradicional horta da casa com as plantas aromáticas e outras espécies foi um dos espaços recuperados, que apresenta agora informações sobre a identificação e cultivo das aromáticas e a sua utilização na cozinha tradicional.
Dirigida sobretudo ao público escolar, as Hortas Pedagógicas irão permitir aos alunos aprender e experimentar a preparar a terra, semear, plantar, mondar, sachar, regar, acompanhando todo o processo de crescimento e maturação dos produtos hortícolas. Os animais (patos, galinhas e outros) merecem igualmente atenção, podendo os mais pequenos observar e aprender os seus hábitos e dietas, e participar nas tarefas dos tratadores. Pontualmente, os visitantes terão a possibilidade de um conhecimento directo através da reconstituição de algumas práticas agrícolas e actividades florestais, de acordo com o calendário agrícola e os usos e costumes tradicionais

A autarquia pretende ainda relembrar rituais e festividades cíclicas como as danças e cantares, contos e lendas, rezas e mezinhas, ou os arranjos dos andores para as grandes romarias. A transformação artesanal dos alimentos será essencial, sendo interesse do Agromuseu promover os produtos regionais.

Existem ainda as Oficinas de Tempos Livres nas pausas lectivas, que irão proporcionar aos mais novos actividades lúdicas e pedagógicas, como amassar e cozer a broa no forno de lenha, fazer bolinhos tradicionais, aprender a fazer aventais, sacas e rodilhas de trapos, construir espantalhos e brinquedos tradicionais, divertir-se com jogos infantis de outros tempos.

Segundo faz saber a Câmara Municipal, pelas 15h30 será descerrada a bandeira do município sobre a placa de inauguração, pela mão da autarca Isabel Damasceno, a que se seguirá a benção do espaço pelo reverendo cónego Henrique Fonseca.

Pelas 15h40, o cântico das Almas antecede os discursos oficiais, nomeadamente de Isabel Damasceno, vereador da Cultura, Vítor Lourenço, e Dona Julinha. Pelas 16h00, haverá uma visita guiada ao Agromuseu, que irá contar com animação.

Fonte: http://www.diarioleiria.pt/

Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Oficial Portuguesa


O Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra – Laboratório Associado, criou em 1999 um prémio de atribuição bienal destinado a jovens investigadores (até 35 anos) de qualquer um dos Países de Língua Oficial Portuguesa. O Prémio CES, financiado pelo Instituto Camões, visa galardoar trabalhos de elevada qualidade no domínio das ciências sociais e das humanidades. Um dos objectivos principais é o de promover o reconhecimento de estudos que contribuam, pelo seu excepcional mérito, para o desenvolvimento das comunidades científicas de língua portuguesa.

EDITAL

1. O Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Laboratório Associado, atribui novamente o Prémio CES destinado a galardoar trabalhos de elevada qualidade no domínio das ciências sociais e das humanidades elaborados originalmente em língua portuguesa.

2. Poderão candidatar-se cidadãos de qualquer um dos Países de Língua Oficial Portuguesa com idade até 35 anos à data de fecho do concurso.

3. O Prémio destina-se a galardoar estudos que contribuam, pela sua excepcional qualidade, para o desenvolvimento das comunidades científicas de língua portuguesa.

4. O Prémio é atribuído de dois em dois anos e tem o valor de cinco mil Euros. É atribuído em 2009, podendo candidatar-se obras inéditas ou publicadas entre 1 de Janeiro de 2007 e 31 de Dezembro de 2008. Este período temporal aplica-se, também, às teses académicas contando para tal a data da sua defesa.

5. O Júri, constituído por um conjunto de reputados cientistas de Países de Língua Oficial Portuguesa, especialistas das áreas das ciências sociais e das humanidades, é presidido pelo Director do Centro de Estudos Sociais.

6. As deliberações do Júri serão tomadas por maioria absoluta dos votos, cabendo ao Presidente do Júri voto de qualidade.

7. O Júri poderá decidir não atribuir o Prémio e das suas deliberações não haverá recurso.

8. O Prémio pode ser atribuído ex-aequo.

9. A deliberação do Júri será tomada nos seis meses seguintes ao encerramento do período de candidatura.

10. As candidaturas deverão dar entrada no Centro de Estudos Sociais até ao próximo dia 30 de Junho de 2009.

11. As candidaturas deverão ser instruídas com oito exemplares da obra concorrente; identificação completa do candidato bem como quaisquer outros elementos julgados por este pertinentes.

12. O CES reserva-se o direito de opção de publicação do(s) estudo(s) premiado(s).

13. A publicação do(s) estudo(s) premiado(s) deverá mencionar a atribuição do prémio pelo CES.


CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS
Colégio de S. Jerónimo
Praça D. Dinis
Apartado 3087
3001-401 COIMBRA
Tel. 239 855570 - Fax. 239 855589
Email: ces@ces.uc.pt

Instituições de solidariedade social vão tratar de refeições escolares contendo mais produtos oriundos da região

As instituições de solidariedade social do concelho de Vila Franca de Xira vão ser responsáveis pelo fornecimento de refeições aos alunos das escolas de 1.º ciclo no próximo ano lectivo. A decisão foi anunciada pela presidente da câmara municipal na última terça-feira.

Ao concurso realizado pela autarquia para o fornecimento de refeições escolares, concorreram duas empresas, tendo ficado a ITAU, com quem a autarquia rompeu o contrato no final do ano, em primeiro lugar. Segundo a presidente de câmara, a empresa “não cumpria todos os requisitos”, apesar de ser a “única que apresentava um preço possível”.

O resultado deverá ser “outra solução”, que regressa ao modelo anterior, em que eram as instituições de solidariedade social a fornecer as refeições. Maria da Luz Rosinha anunciou confiar na “grande experiência” das instituições no fornecimento dos alimentos para as escolas.

Ao que apurou O MIRANTE, as refeições deverão ser confeccionadas pelas instituições das várias freguesias onde se encontram as escolas, desde que tenham capacidade nas suas cozinhas. Alguns dos candidatos poderão ser, a sul a APAC, na Póvoa de Santa Iria, a ABEIV em Vialonga e o IAC no Forte da Casa. Alverca poderá ser um dos locais onde as opções serão maiores, sendo a Fundação Cebi e a Casa de São José eventuais candidatos, e no Sobralinho o CDSS, entre outras instituições que deverão ser contactadas nos próximos dias.

Refeições com mais produtos concelhios

As refeições a servir nas escolas do concelho vão conter mais produtos oriundos da área concelhia de Vila franca de Xira. A Assembleia Municipal aprovou, na terça-feira, uma recomendação à câmara municipal em que se solicita que metade de todos os alimentos servidos nas cantinas das escolas básicas e pré-escolas sejam produzidos na região. A recomendação, entregue pelos deputados municipais da CDU, pede ainda que destes, cerca de 10 por cento sejam produzidos em regime de agricultura biológica e que nenhum alimento servido nas cantinas seja resultado da agricultura transgénica.

O documento, aprovado por unanimidade, recebeu o elogio da presidente de câmara, Maria da Luz Rosinha. Segundo a autarca, a preferência por produtos concelhios já chegou às cantina municipal. Nas escolas, a medida deverá ser progressivamente implantada.

Fonte: O Mirante

Curso de Formação "Europa como ideia e prática" CES

26 e 27 de Junho de 2009, Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra

Organização: Clemens Zobel (Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra)

Apresentação
Este curso de formação tem como objectivo uma análise da Europa entendida a partir de uma dupla consideração, como entidade ideológica e como corpo de práticas institucionais. Este exercício envolverá dois eixos temáticos:

(1) compreender a diversidade de perspectivas a partir do “dentro” e ver como elas são negociadas a partir do “fora”, particularmente no que concerne o Sul – por aqui postulando ao mesmo tempo que através da experiência colonial e das dinâmicas migratórias o “exterior” tem estruturado continuadamente o “interior”;

(2) explorar o desafio de pensar a Europa enquanto terreno de experimentação de ideias e práticas que visam a igualdade. Trata-se em ambos dos casos de examinar a existência da Europa a diferentes níveis: local, regional, nacional e transnacional, partindo do princípio de que estes níveis se contraem uns nos outros; trata-se igualmente de colocar práticas e ideias sobre a Europa numa curta, média e longa duração, explorando a permanência e as transformações dos modelos que se foram estabelecendo nos últimos cinco séculos desde o princípio da expansão europeia.

Programa

26 de Junho

9.30-9.50 | Apresentação do curso: Clemens Zobel

O desafio da igualdade I
9.50-10.30 | Giovanni Allegretti, “A apropriação de um modelo do sul na Europa: reflexões sobre a difusão dos orçamentos participativos”

11.30-12.10 |Virginia Ferreira, “As políticas de emprego e a igualdade de género na União Europeia.”

Retratos I
14.30-15.10 | Paula Meneses, “A Europa vista pelo ‘Sul’”

16h20-17h | Pedro Gois, “A Europa e as identificações transnacionais Cabo-Verdianos”

27 de Junho

Autoretrato
10h-10.40 | Mathias Thaler, "Secularism in Europe: Conceptions and Realities”
10.40-11.30 | Discussão

Retratos II

11.40-12.20 | Maria-Benedita Basto, “O fora no dentro: Edward Said e o exercício do contraponto na ideia da Europa”

O desafio da igualdade II
14.30-15.30 | Marta Araújo e Silvia Rodríguez Maeso, “Racismo e (anti-)racismo na Europa: concepções e políticas públicas ”

15.40-16.30 | Discussão

Mais em:
informações e inscrições

Michael Buble - Sway

Mais Musicas no blog do AgriCabaz

Amnistia inernacional - Mesa Redonda - Dia 26 de Junho de 2009 – Dia de Apoio às Vítimas de Tortura



Mesa Redonda

Dia 26 de Junho de 2009 – Dia de Apoio às Vítimas de Tortura


Dia – 26 de Junho de 2009
Hora – das 17h00 às 20h00
Local – Associação 25 de Abril
Objectivos – Dar a conhecer, debater e retirar as ilações sobre os resultados do European Social Survey relacionados com a tortura e prisão preventiva em Portugal como medidas de combate ao Terrorismo.

Introdução
Em 30 diferentes países europeus e com a participação de várias universidades, foi realizado o European Social Survey – monitoring atitude change.
Quando estava a ser preparado o questionário para este estudo, ocorreu, em 2005, um ataque terrorista em Londres, trazendo para a Europa uma maior proximidade do receio de ataques terroristas em território europeu.
Nesta ocasião, os autores do inquérito decidiram integrar neste algumas perguntas relacionadas com o medo.
Em concreto foram introduzidas 3 perguntas que aqui relevam e cujas respostas eram de concordância ou discordância: 1) É fundado o receio de ataque terrorista no seu país? 2) A prisão preventiva deverá ser utilizada para prevenir actos terroristas? 3) É legítima a utilização de tortura para obtenção de informações relevantes para a prevenção e combate ao terrorismo?

Put some...WORKSHOP VJ | 20 e 27 de Junho | Casa da Esquina Coimbra


1º Sábado das 16h00 às 20h00, local, Casa da Esquina.

A | conceitos teóricos

•visualização de projectos VJ nacionais e internacionais
•breve introdução ao conceito de sound design
•conceito de looping, live performance, reactividade, interactividade
•exercícios prácticos de estimulção e reação imagéctica ao som

B | hardware

•input.output
•midi controler, video mixer
•pc, projector
C| software

Breve alusão ao software mais utilizado nas plataformas Windows e Mac(Adobe Premiere,Final Cut, Resolume, Vidvox, Modul 8). Neste módulo pretende-se familiarizar os formandos com 2 softwares
selecionados para este Workshop. Estes softwares terão sidos selecionados pela facilidade de manipulação,
e por também serem muito utilizados para esta practica.
•Edição Video: Sony Vegas 8.0
•Manipulação de Imagem em Tempo real: Arkaos 3.6, Arkaos Grand VJ, NUVJ

D | Live Act

Masterclass com o DJ Tozé Diogo
A Discoteca Via Latina está equipada com uma mesa de mistura video Roland V4, para além de projectores,
cabos e os demais equipamentos necessários.
•montagem do equipamento
•experimentação ao vivo por parte dos formandos

2º Sábado das 16h00 às 20h00, local, Casa da Esquina.

A | Preparação de um SET (casa da esquina)

•combinações de vídeos, velocidade,
•conceito de máscaras, type in motion
•efeitos

2º Sábado das 21h00 às 04h00, CITAC

Live Act, COMBATE VJ

Preparação de todo o equipamento video e set video para um combate VJ com o DJ Afonso Macedo.

Dulce Pontes actua no próximo dia 3 de Julho na Universidade de Coimbra


Dulce Pontes actua no próximo dia 3 de Julho, na Via Latina (Universidade de Coimbra), numa organização conjunta da Turismo de Coimbra, E.M. e da Universidade de Coimbra.

Trata-se de uma oportunidade há muito desejada, que surge numa altura em que Dulce Pontes celebra vinte anos de carreira, assinalados com um novo álbum – “Momentos” – , assim chamado por revisitar os grandes momentos ao vivo da cantora, que a consagraram como uma das maiores artistas femininas mundiais.

A sua interpretação no Festival Eurovisão da Canção, em 1991, com “Lusitana Paixão” permanece até hoje na memória de muitos de nós, mas foi com “Canção do Mar”, tema popularizado por Amália, que surgiu a consagração mundial.

Sucessivas tournés internacionais levaram-na a actuar nas mais prestigiadas salas mundiais: Royal Albert Hall, em Londres, Arena di Verona, Auditorium Parco della Musica, em Roma, Mazda Palace, em Milão, Internacional Forum Hall, em Tóquio, entre outras.

O seu percurso é marcado pelas várias colaborações estabelecidas com nomes maiores da música. Actuou ao lado de Andrea Bocelli, José Carrerras, Cesária Évora, Caetano Veloso, Daniela Mercury, Simone e Marisa Monte e estabeleceu uma longa parceria com o maestro e compositor Ennio Morricone.

No espectáculo de 3 de Julho, a cantora deverá recordar os grandes êxitos que lhe têm valido a lealdade do público, passando pelo repertório que a aproxima da cidade.

Dulce Pontes nunca escondeu o seu interesse pela música de Coimbra, presente nos seus álbuns e actuações através de reinterpretações de temas como "O meu menino é de oiro" ou mesmo canções popularizadas por José Afonso, a quem a cantora prestou tributo, com ''Canção de embalar', “Coro da Primavera”,"Resineiro" e “Índios da Meia Praia".

Depois de ter acolhido nomes como José Carrerras, Ney Matogrosso e Marisa, a Via Latina é mais uma vez palco de um momento musical maior da cidade, através de uma organização que reúne em parceria a Universidade de Coimbra e a Empresa Municipal de Turismo de Coimbra.

O espectáculo será uma celebração para a cidade, assinalando o feriado municipal e homenageando também o próprio monumento que o acolhe, recentemente distinguido pela União Europeia e pela Europa Nostra no âmbito dos “European Union Prize for Cultural Heritage/Europa Nostra Awards 2009”, pelo projecto de recuperação desenvolvido.

Data:
3 Junho

Hora:
21h30

Local:
Universidade de Coimbra (Via Latina)

Preços:
20 € - Bancada Vip
15 € - Primeira Plateia
10 € - Segunda Plateia
7,5 € - Estudante e maiores de 65 anos de idade

Bilhetes à venda na Loja da Universidade de Coimbra, nas lojas FNAC e Worten, Centros Comercias Dolve Vita e El Corte Inglês e online em www.ticketline.pt e em www.uc.pt.

Plataforma do Choupal lança desafio à população "Engarrafou? Gravou? Ganhou!"


A Plataforma do Choupal anunciou hoje que dá um brinde a quem conseguir visionar um engarrafamento na Ponte Açude, em Coimbra, junto à Mata do Choupal, onde o Governo pretende construir um viaduto rodoviário.

«Vamos colocar no nosso sítio da Internet (www.plataformadochoupal.org) uma imagem permanente em directo da Ponte Açude, para que os interessados vejam como se processa a circulação rodoviária», explica Luís Sousa, do movimento, referindo que o objectivo «é mostrar a total ausência de entupimentos ou engarrafamentos de trânsito, salvo se houver um acidente».

«Se alguém conseguir encontrar uma situação de engarrafamento que faça uma impressão e nós damos-lhe um brinde», ironizou.

Com esta iniciativa, designada de «Desafio Electrónico à População!», a Plataforma do Choupal prossegue a luta para impedir que aquela Mata Nacional seja «irremediavelmente afectada pela construção de um viaduto rodoviário com 40 metros de largura e que a atravessa numa extensão de 150 metros, no âmbito do novo IC2».

Segundo Luís Sousa, os argumentos de que «a ponte está saturada» soam a «absurdo».

«Como não temos possibilidade de encomendar um estudo credível, optámos por uma iniciativa artesanal que consiste em pedir às pessoas que acedam à nossa página da Internet e vejam a fluidez de trânsito nas três faixas de rodagem da ponte», referiu.

Numa conferência realizada esta manhã, os responsáveis da Plataforma do Choupal anunciaram que a Assembleia da República agendou para discussão em plenário a petição do movimento que propõe a revogação da Declaração de Impacte Ambiental da obra e a suspensão do concurso público.

Admitida a 20 de Março, a petição conta com 10.040 signatários que exigem ainda a discussão de alternativas ao actual projecto.

Sem ainda conhecer a data de discussão em plenário, Luís Sousa espera «que a petição seja ainda debatida nesta legislatura», referindo ter informações de que o presidente da Assembleia da República deu indicações para que «fossem agendadas todas as petições e não fosse deixada nenhuma para a próxima legislatura».

Diário Digital / Lusa

Ninho de Pernilongo na Salina Eiras Largas, em Armazéns de Lavos, Figueira da Foz, Portugal






Festa do Solstício de Verão | Aldeia de Açores da Serra da Estrela | Curso de Jardinagem da ADAG ( Associação Distrital dos Agricultores da Guarda)

Uma espécie de corrida: Pelo Choupal sem viaduto, 26,27,28 de Junho de 2009



Vim para o mosteiro, por ir maria do carmo tovar osb


Creio, que para a maior parte da gente o facto de eu me meter num mosteiro “enfiando-me” dentro das mesmas 4 paredes para o resto da minha vida, e ainda para mais andar vestida desta maneira exótica, é o sinal rematado e acabado de que a minha cabeça não funciona bem… - ou seja - não se rege pelos parâmetros habitualmente considerados “normais” e desejáveis: estudar, ter um emprego, de preferência um bom emprego com futuro garantido e bons ordenados, comprar casa, um bom carro, fazendo uma carreira profissional brilhante ao lado de uma família que se foi construindo!

E sinceramente penso que é perfeitamente compreensível que achem que tenho alguma panca… pois quando a ideia de uma vida de maior recolhimento surgiu na minha cabeça, também eu achei que estava maluca!

Mas vamos por partes:

Sou engª civil, e até aos 37 anos e alguns meses tinha uma vida absolutamente normal:

Formei-me em Coimbra, e durante 1 ano por lá fiquei como assistente estagiária na universidade (Álgebra linear e geometria Analítica, e depois desenho de construção civil) o que troquei por um lugar de engenheira no Porto … e já nessa altura houve gente que achou que eu era tola quando deixei uma carreira docente para me meter na vida da construção civil ainda para mais fora de casa e a ganhar um bocadito menos. Não liguei peva a essas bocas: para mim a carreira docente era uma chatice – parada, sem acção …. ficar por ali a dedicar-me a trabalhos teóricos sem mexer na massa… …. não dava luta Até achava uma certa piada às aulas mas ponto final.

Vim então para o Porto para uma das maiores empresas de construção portuguesas… mudando alguns anos depois para outra…

A minha vida também mudou bastante! Do sossego das aulas, horários folgados com tempo para tudo, passei para o mundo da construção civil: um mundo onde se trabalha montanhas de horas, com bastante stress, um mundo que por vezes é bastante “sujo”.

Mas um mundo fascinante! Trabalhei quase sempre nos orçamentos: o descobrir, inventar maneiras de reduzir os custos, o descobrir maneiras de se dar a resposta certa no momento certo, o perceber como se faz o quê e porquê… o trabalhar sempre debaixo da pressão de prazos… o descobrir o prazer de trabalhar em equipa… a alegria quando o nosso orçamento ganhava um concurso a muitas das vezes entre 20 ou mais empresas … as decepções vividas juntos se um orçamento que nos tinha tirado noites e noites era preterido por o de uma outra empresa …. Os jantares e almoços de colegas, alegres e divertidos que acabavam em discussões acaloradíssimas de questões mais ou menos ligados ao nosso mundo… jantares esses em que não raro era a única mulher….

Durante este tempo descobri a CVX – comunidades de vida cristã – um movimento de espiritualidade inaciana.

Um tipo de gente no seu geral bastante diferente… mas da mesma maneira que com os meus colegas pretendíamos ir ao fundo das questões, tentando compreender os comos e os porquês no nosso mundo de modo a que tudo se encaixasse, na CVX, queríamos ir ao fundo da questão essencial: como viver de uma forma cristã num mundo em que tantas vezes parece ser tão difícil viver de uma forma simplesmente recta e honesta…

Na minha CVX éramos todos formados, médicos, professores arquitectos, gestores… A ideia de base era ajudarmo-nos a ir descobrindo nas nossas vidas como viver aquilo que Deus nos pedia em cada dia, num mundo com bastantes tendências para a desumanização… ajudarmo-nos a discernir os sinais de Deus e da Sua vontade nas nossas vidas, como actuar em situações concretas…

Devo imenso à CVX: foi aí que descobri a importância de viver a fé de uma maneira autêntica e não dissociada da vida… Ajudou-me a olhar para a coerência de vida como uma coisa vital – viver como se pensa… olhar para a minha vida como um todo, com uma linha que leva a algum lado.

E a “culpa” de eu aqui estar hoje será da CVX:

Já por lá andava há alguns anos, quando se começou a pensar que em Portugal a exemplo de outros países se deveria começar a fazer um compromisso público com a CVX… quando se falou nisso eu numa boa, sem problema de espécie alguma disse que por mim até não me importava… a CVX fazia parte da minha vida, a espiritualidade inaciana era o que eu vivia… qual era o problema?

E assim em Novembro de 1994 num encontro nacional da CVX lá fui eu com mais uma ½ dúzia de gente fazer o compromisso com a CVX… assim o pensava!

Só que enganei-me! E descobri que com quem eu me estava a comprometer era com Jesus!!!

Ao dizer “TOMAI, SENHOR, E RECEBEI Toda a minha liberdade, a minha memória, a minha inteligência e toda a minha vontade.

Tudo o que tenho e tudo o que possuo Vós mo destes, a Vós, Senhor, o restituo.

Tudo é Vosso. Disponde de tudo segundo a vossa inteira vontade.

Dai-me o Vosso amor e a Vossa graça, que isso me basta.

Estava a entregar a Deus tudo, conscientemente, dizia que tudo era dele, que ele dispusesse de tudo segundo a Sua inteira vontade…

E Ele aproveitou a deixa!

Mês e ½ depois estava eu a dizer a um senhor padre que me parecia que Deus me pedia para me dedicar a Ele de uma forma mais exclusiva, que sentia ?!?! que Ele me estava a pedir uma vida contemplativa… o senhor padre que me ajudasse a tirar isso da cabeça! Era uma coisa completamente impossível!!! Como é que EU me podia ir fechar dentro de uns muros a rezar! E a minha vida? Eu era uma pessoa mexida, que me dava bem no stress e na correria!

Se não estava maluca ao pensar nisso de certeza que iria ficar!!!! Ainda para mais só com mulheres!! Nem pensar! Por favor tire-me esta ideia da cabeça!!!!!!

Ele não me tirou a tal ideia da cabeça… até Fevereiro de 95 nunca tinha ouvido falar do mosteiro, nem sabia nada sobre S.Bento, de beneditinos tinha uma vaga ideia de que viviam no meio do monte e que faziam licores com várias ervas… e menos de 1 ano depois – no dia 1 de Novembro de 1995 entrei no mosteiro, onde espero ficar para o resto da vida… ainda hoje me espanto !!!

E em vez de um afunilamento na minha vida descobri um alargamento enorme de horizontes,

Em vez de um encerrar-me descobri uma liberdade fantástica

Em vez de uma vidinha que eu tinha tenho uma fantástica de uma Vida, com o V enormíssimo…

Há muitos anos chamava-se numa expressão foleiríssima ao namorado “o mais que tudo” acho que por muito foleiro que seja o termo, exprime uma realidade muito verdadeira e forte: se algo é mais do que o resto tudo, em relação a isso tudo o resto deixa de ter importância…

É realmente que a liberdade não é desligar-me de tudo, mas sim fazer uma opção por 1 só coisa e relativizar o resto!

E quando eu digo isto não é paleio para vender o meu peixe… sinto-me verdadeiramente muito mais livre agora que tenho que pedir licença para tudo, que não tenho dinheiro, etc, do que quando era Exma srª Eng, sem ter que dar satisfações a ninguém, com a minha casa e o meu carro, indo para onde queria e me apetecia… Quando descobri isso até eu me espantei! Mas contra fatos não há argumentos e a verdade é que realmente sinto uma liberdade enorme.

Quando se lhe dá o dedo, Deus leva tudo o que está agarrado, mas dá 100 vezes mais… e não há duvida de que vale bem a pena!

Fonte: http://monjafeliz.blogspot.com/

Ópera no Convento de S. Francisco em Coimbra - "Bastien e Bastienne”, de Wolfang Amadeus Mozart


A Ópera de Coimbra apresenta no Convento de S. Francisco “Bastien e Bastienne”, de Wolfang Amadeus Mozart. Uma produção do Ad Libitum e do Teatro os Castelos.

A Ópera de Coimbra (música, movimento, drama, design, poesia) é uma associação artística alicerçada no trabalho persistente de um grupo coral de renome e cooperativa interdisciplinar de cultura, que reúnem energias e apoios para um projecto estruturante: uma companhia de teatro musical com sede na alta de Coimbra, Espaço Ad Libitum.

Esta é a proposta à cidade e à região de um projecto que em simultâneo experimental, popular, e pedagógico; aberto a novas temáticas e estéticas, de estímulo ao gosto pelas artes e pela cultura, visando propiciar a futura inserção profissional de jovens músicos, cantores e compositores.

Datas:
20 e 27 de Junho
3 e 4 de Julho

Ficha Técnica
Direcção Geral e Encenação: Júlio Sousa Gomes
Direcção Musical: Isilda Margarida
Elenco: Ana Loureiro, Ana Raquel Roseiro, João Barros, Nuno Mendes, Ricardo Vicente, Tânia Ralha
Orquestra: António Ramos (Violino), Clara Ramos (Violino), João Ventura (Viola de Arco), Pavel (Violoncelo), Rui Morais (Contrabaixo) , 2 oboés, 2 trompas e uma flauta em designação.
Coros: Grupo Vocal Ad Libitum e Coro Infantil Cherubini Ad Libitum
Versão portuguesa: Júlio Sousa Gomes (a partir de 1ª versão de Madalena Leite Castro e Fernanda Correia); apoio de Magda Magano.
Produção: Ad Libitum, Companhia das Artes ; Teatro dos Castelos, Cooperativa de Cultura

Produção Executiva: Paulo Pereira e Júlio Sousa Gomes

Marcha Mundial pela Paz e pela Não-Violência - 2 de outubro 2009



Uma Ponte para o Futuro
A primeira Marcha Mundial percorrerá o mundo pedindo o fim das guerras, o desmantelamento das armas nucleares e o fim de todo tipo de violência (física, económica, racial, religiosa, cultural, sexual e psicológica).

Una-se a pessoas corajosas e ajude a despertar uma nova consciência mundial não-violenta!


INTERNATIONAL SITE

STUDENTS FOR THE WORLD MARCH

YOUTUBE CHANNEL

MARCHA MUNDIAL CREATIVE

FACEBOOK GROUP

Hortas Biológicas: Dezenas de amadores transformam pedaços de Guimarães em "sucessos" agrícolas

Guimarães, 14 Jun (Lusa) --A Horta Pedagógica de Guimarães criada pela câmara, há menos de um ano, já tem dezenas de agricultores que produzem, de forma biológica, legumes e flores. Um 'sucesso' que leva as mais variadas profissões a discutir qual a melhor semente de pepino, disse à Lusa uma agricultora.

"Aqui somos todos agricultores, trocamos sementes, legumes e flores e gozamos o prazer de cultivar a terra", referiu Cristina Pereira, operária de calçado desempregada e "dona" de um canteiro na Horta Pedagógica de Guimarães.

A horta está situada na Veiga de Creixomil, a 100 metros de um hipermercado e num dos terrenos outrora mais férteis e cultivados do concelho e onde quase só existiam silvas e ervas.

"No mercado municipal já se deve notar um quebra na venda dos legumes tal é a quantidade de legumes que se colhem na horta", frisou Avelino Pereira, encarregado geral de uma empresa de calçado e agricultor aos sábados e domingos.

O colorido dos legumes e flores semeados, faz das pequenas hortas um enorme jardim.

"Não percebia nada de agricultura quando me candidatei à horta mas depois de comer as primeiras alfaces que semeei, as ervilhas e as favas, percebi que tinha um agricultor dentro de mim", disse Avelino Teixeira, um tipógrafo encadernador reformado.

Por cinco euros anuais, os candidatos ficam na posse de uma parcela de terreno de 50 metros quadrados, apenas com a única obrigação de a cultivarem.

Couves, favas, ervilhas, batatas, cebolas, maracujás e meloas, tomates e pepinos, há de tudo no terreno em que a câmara de Guimarães também oferece a água para a rega.

"Eu só trato das flores e tenho muitas e bonitas", salientou Arminda Teixeira, esposa de Avelino, que 'obrigou' o marido a ceder-lhe parte do espaço.

"São pessoas que querem cultivar um terreno pelo prazer de lidar com a terra e não exactamente por necessidade", frisou Costa e Silva, o vereador dos Serviços Urbanos e do Ambiente na câmara de Guimarães.

As primeiras hortas começaram e ser cultivadas em Outubro de 2008 mas, menos de um ano depois, não há espaços vagos e a variedade de legumes e hortaliças surpreende.

"Há pessoas que vêm para aqui passear só para nos verem a trabalhar. Até parece que estamos numa jaula a ser observados como se fossemos uma espécie em vias de extinção", brincou um juiz, que esquece as leis nas horas vagas e troca o martelo das audiências pela enxada.

"É uma terapia para o stress e que leva a grandes discussões científicas como por exemplo, qual é a melhor semente de pepino", disse uma enfermeira do hospital de Guimarães que sai do emprego e vai, a pé, até à sua horta.

"Ando descalça, tiro ervas daninhas. Converso com as plantas e hoje, estive a colocar estacas nos tomates", contou a enfermeira.

O projecto inicial previa espaços maiores mas o número de candidatos ao aluguer de terrenos fez com que ao tamanho das hortas fosse 'reduzido'.

As primeiras candidaturas foram de um grupo de economistas. Depois juntaram-se operários, médicos, professores, enfermeiros, reformados e juízes.

Mas a diferença de profissões não interfere na agricultura. "Ó vizinha, dá-me um pezinho de salsa e eu dou-lhe um pé de pepinos", pediu um agricultor de fim-de-semana.

"Podia era dar-me uns pezinhos de alface para plantar", reclamou a 'inquilina" do terreno ao lado. Negócio feito, o cultivo continua.

A ideia essencial passa por incentivar a prática da cultura biológica, permitindo à população um contacto com a natureza e uma melhor consciência ecológica.

A utilização de fertilizantes está sujeita à apreciação prévia dos serviços técnicos do pelouro do ambiente.

Integrado no projecto HiperNatura Continente, o conceito de hortas pedagógicas custou 600 mil euros. "É uma forma de participar activamente na preservação e na revitalização da natureza urbanas ", finalizou Miguel Rangel, da empresa promotora do projecto.

EYM

Lusa/Fim

Fast food monta cardápio com alimentos da estação


Até bem recentemente as redes de fast food iam na contramão da corrente de sustentabilidade e refeições saudáveis. Seja por sorte ou por uma incrível visão de futuro, em 1961, o americano George Propstra inaugurou a rede Burguerville com conceitos bastante atuais: a compra de matéria-prima somente de produtores locais e a formatação do cardápio de acordo com os alimentos da estação.

Hoje com 39 restaurantes, a marca exibe a sustentabilidade como diferencial para atrair a clientela. Além de garantir a compra local de carne e queijo livres de hormônios, a cadeia adotou práticas como a reciclagem do óleo (de canola, que é mais saudável) utilizado nas cozinhas, investimento em um programa de energia eólica, a compostagem dos restos de alimentos e a reciclagem dos demais resíduos.

Para ter a consciência socioambiental limpa, os consumidores da Burguerville aceitam pagar mais por seus hambúrgueres, batatas-doces fritas e milk shakes de abóbora. Até as cadeias de fast food – historicamente vilãs do meio ambiente e da boa saúde – estão revolucionando seus modelos.

Fonte: http://empresas.globo.com/

"O espírito de um povo" por João César das Neves



Portugal divergiu da revolução até à entrada, voltou a convergir bem durante dez anos, mas diverge desde 1999

Na União Europeia dá-se grande atenção à convergência ou divergência de crescimento, pois cada um se compara instintivamente com a média do grupo. A história mostra que aí não há padrões claro, passando os países por fases distintas.

A Irlanda, com crescimento anémico nas primeiras décadas de participação na CEE, começou intensa convergência que levou de segundo país mais pobre dos quinze, a seguir a Portugal, para segundo mais rico, abaixo do Luxemburgo, apesar de ter divergido nos últimos três anos. A Espanha divergiu de 1975 até entrar em 1986 e convergiu depois até 2007. A Grécia, que foi estrela de convergência até entrar na Europa, caiu de 1981 até 1999, começando a subir desde então. Portugal, que convergira muito até 1973 e divergira da revolução à entrada na CEE, voltou a convergir bem durante dez anos mas diverge desde 1999.

Por que razão há fases diferentes? A causa é estrutural e profunda, não tem a ver com ciclos ou problemas sectoriais. Trata-se de fenómenos complexos, que afectam todo o espírito de um povo. Sempre se soube que as comunidades humanas passam por épocas de energia, esforço e optimismo e períodos de apatia, comodismo e conflitos. Essas evoluções civilizacionais traduzem-se na dinâmica económica.

Não é difícil explicar porque as coisas correm mal. O que é difícil é explicar o sucesso. Basta olhar à volta em Portugal para encontrar razões de paralisia, oportunismo e parasitismo. O que é preciso, como nas épocas anteriores, é quebrar esses bloqueios e gerar nova era de ânimo.

por João César das Neves
Diário de Noticias

A Quinta do Futuro

"Aproveita a energia do vento, do sol e produz biogás com os detritos animais e domésticos. Gera hidrogénio com que alimenta as máquinas agrícolas. Esta é a proposta da empresa New Holland Agriculture, que acaba de ser premiada em Paris pela inovação."


Exposição sobre o Sal em Santa Lúzia de Lavos, Figueira da Foz

A Casa do Sal da Figueira da Foz / Salina Eiras Largas colabora na exposição de Sal que vai decorrer no próximo Sábado, dia 13 de Junho, 2009, no Largo José da Silva Fonseca, em Santa Luzia de Lavos.

A Casa do Sal da Figueira da Foz vai expor os diversos tipos de Sal:
Esta Exposição é organizada pelas alunas da ESEC (Escola Superior de Educação de Coimbra) no âmbito dos seus estágios Curriculares, orientados pela Professora Lucília Salgado com supervisão da Presidente da Junta de Lavos, D. Isabel Oliveira.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails