O Fojo: Permacultura em acção

Noites Utópicas 2: Transfigurações do Género. Torres Vedras: 4 de Fevereiro de 2010

4 de Fevereiro, Quinta-Feira, 21h30 | Teatro-Cine de Torres Vedras | Entrada Livre

Perante a iminência contagiante do Carnaval “mais Português de Portugal” em Torres Vedras e da sua peculiar tradição das “Matrafonas”, as Noites Utópicas prosseguem no Teatro-Cine a 4 de Fevereiro, Quinta-Feira, pelas 21h30, desta vez com a presença da realizadora e activista LGBT Raquel Freire (Rasganço, Veneno Cura) e do curador Hugo Dinis (exposição Desedificar o Homem, Serralves). Os convidados tem por missão fornecer a substância ígnea fundamental para uma tertúlia controversa em torno das identidades e das subjectividades culturais relacionadas com o género e a orientação sexual, a qual só ficará mesmo completa com o discurso directo de uma vernacular “Matrafona” (da Associação Ministros & Matrafonas, Carnaval de Torres Vedras).

As “questões de género” estão hoje na ribalta. Desde a nova legislação que permite o casamento homossexual até aos mais recentes estudos sobre poesia portuguesa feminista, a contestação de um paradigma “patriarcal” ancorado no poder de uma masculinidade hegemónica parece indicar que vivemos uma época de transição histórica. Será que entrámos numa era mais atenta aos direitos culturais de pessoas portadoras de outras mundividências e imaginários? Novos tempos em que assumidamente admitimos a fluidez identitária, reconhecendo que não somos o que somos mas o que fazemos de nós?

Quando em Outubro de 2008 Raquel Freire encenou o seu casamento homossexual frente ao Parlamento, referiu ao JN que essa «foi uma acção política contra a homofobia. Espero que seja finalmente legitimada. Daqui a uns anos, isso vai ser tão ridículo como discriminar raças diferentes. O racismo hoje é crime. Se um homem vai na rua e é apedrejado porque gosta de homens e não de mulheres, se perde o emprego por causa disso, isto é fundamental, é para a vida dele, é para a sobrevivência.».

Face a este contexto global e na actual temporalidade Carnavalesca de Torres Vedras, qual o sentido transfigurador das “matrafonas” e o seu valor simbólico? Serão apenas um fenómeno que visa o constante reforço da dominação masculina como exercício do poder e do consenso homofóbico? A resposta afirmativa a esta pergunta podemos encontrá-la na peça da artista Carla Cruz intitulada Homofóbico/Homoludens, integrada na exposição “Desedificar o Homem. Aproximações de arte contemporânea para uma possível discussão sobre a questão do género masculino” (com curadoria de Hugo Dinis, colecção do Museu de Serralves).

Esta discussão é igualmente importante numa outra dimensão globalizante, a das “Cidades Criativas” e das suas condições estruturantes ao nível da gestão das diversidades culturais. Neste aspecto, importa reconhecer se uma cidade média como Torres Vedras tem o grau suficiente de “Tolerância”, tendo em conta os condimentos delineados por Richard Florida (3 T's: tecnologia, talento e tolerância). Tolerância, significa aqui uma “abertura” social a estilos de vida não-hegemónicos, e o cruzamento criativo entre as diversas sensibilidades e racionalidades, designadamente a existência pública de uma boémia criativa, de minorias étnicas, ou de minorias LGBT...

Estas são algumas das questões que irão animar a tertúlia da Noite Utópica dedicada às Transfigurações do Género, precedidas pela visualização de recentes filmagens da cineasta Raquel Freire.

O Ciclo Noites Utópicas começou no dia 21 de Janeiro com o tema «Espaços Autónomos de Produção e Programação Cultural» e pretende ser uma clareira de encontro e de debate aceso, sem receio de polémicas e visando a construção do consenso possível, aberto à multiplicidade de identidades, subjectividades ou mundividências culturais e artísticas.

Para mais informações, por favor contactar:

Rui Matoso | rui.matoso@gmail.com | 967863646

http://noitesutopicas.blogspot.com/ http://www.cm-tvedras.pt/teatro-cine/detalhes/?id=1083

A economia social - uma alternativa ao capitalismo Thierry Jeantet, introdução por Manuel Canaveira de Campos

Novo livro da Outro Modo

96 pp.

pvp - € 6,00

preço para assinantes - € 5,00

Encomende o seu exemplar enviando-nos um cheque ou vale postal à ordem de Outro Modo Cooperativa Cultural, CRL ou efectuando uma transferência bancária para o NIB 003 601 859 910 001 195 592. Se optar pela hipótese transferência, agradecemos que, quando a efectuar, nos envie um e-mail a confirmar o pagamento, bem como os dados para envio da obra e factura. Para obter mais informações, envie-nos um e-mail para monde-diplo@netcabo.pt ou ligue para 213 536 054 (dias úteis, das 9h às 13h).

Será que o capitalismo, nos diferentes rostos com que se apresenta, venceu de forma definitiva a batalha ideológica de fazer acreditar que crescimento económico e progresso social são os frutos da acumulação de riquezas, antes de mais financeiras?

Desde a queda do Muro de Berlim, as alternativas ao capitalismo têm uma enorme dificuldade em impor-se como forças de proposta e, por vezes, parecem estar presas ao protesto.

Na realidade, estão presentes nas economias de mercado, tanto no Norte como no Sul, empresas e sectores inteiros de actividade produtiva que são geridos de forma diferente, pondo em prática uma democracia viva e uma gestão das riquezas no sentido do interesse comum. Estes empreendimentos reconhecem-se na designação «economia social». Incluem mutualidades, cooperativas e associações, fundações e comunidades, estando presentes à escala planetária, designadamente em Portugal, no Brasil, em Angola, em Timor…

Esta obra mostra que a economia social é, num mundo que se pretende plural, uma resposta moderna, já bem rodada, às expectativas dos cidadãos. Uma resposta a intensificar.

A RETÓRICA SOBRE A POBREZA!

Estamos em 2010-O Ano Europeu sobre a pobreza!Começaram os discursos mal intencionados sobre o "flagelo", bem como os colóquios, seminários sobre tão importante tema!Todas as instituições que se prezem irão falar do assunto desde a União Europeia até ao Governo, igrejas, partidos etc.
Existem, inclusive, sites para darmos a nossa opinião sobre tão magno problema!Aí, os que têm internet, podemos dar opinião, vociferar, criticar, dizer mal do Governo.De forma verdadeiramente despudorada existem até sites do Estado onde solicitam, sim, solicitam que as pessoas partilhem experiencias de pobreza!Como tal experiência seja comparável á que se teve numa ida à Patagónia,a Chicago ou outra interessante aventura!

É impressionante como ao mesmo tempo que se produz toda esta cínica retórica se decide sem negociação que os funcionários públicos não são aumentados, sim, mesmo aquela grande percentagem que não chega aos 600 euros, ficando muitos pelos quinhentos e tal!

Enquanto foi preciso um murro na mesa paara que se aceitasse o último aumento miserável do salário mínimo, dado que alguns já estavam a ver uma crise nas empresas com tamanho aumento que não chegava a 1 euro por dia!

E agora no sector privado a maioria dos patrões vão dizer que não havendo aumentos no Estado também não podem ter lugar no sector privado!

E então, os estudos não nos dizem que uma grande parte da nossa pobreza está relacionada com os salários baixos?

A este propósito a LOC/MTC (Trabalhadores Católicos) realiza estes dias, em Guimarães, um Seminário Internacional sobre esta questão, ou seja sobre a pobreza de muitos trabalhadores portugueses!Uma boa iniciativa para pôr o dedo na ferida e falar para dentro da Igreja Católica muito sensível ao apoio de emergência (ainda bem) mas pouco sensível às reivindicações dos trabalhadores e á distribuição efectiva da riqueza!

Vamos continuar com esta retórica?A pobreza está bem estudada!São necessárias medidas políticas de distribuição da riqueza.

Dom blogue: Bem estar no trabalho

ACÇÕES DE REFLORESTAÇÃO Inverno 2010

Reserva da Faia Brava, Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo
Fim-de-semana de 26,27 e 28 de Fevereiro
Fim-de-semana de 12,13 e 14 de Março
O Colectivo Germinal e a Associação Transumância e Natureza organizam duas acções de reflorestação nas margens do rio Côa, no Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. O objectivo primeiro é o repovoamento de áreas ardidas e agrícolas abandonadas, promovendo assim a recuperação destes ecossistemas. Haverá também a manutenção de um viveiro florestal e a recolha de sementes
As árvores utilizadas para os repovoamentos são autóctones, como carvalhos (sobreiros, azinheiras, roble, etc.) e freixos, entre outras. As áreas intervencionadas são propriedade da Associação Transumância e Natureza, estando portanto protegidas. Toda a área está inserida num projecto de criação de uma futura reserva natural. Estas acções têm por objectivo criar as condições necessárias para a recuperação de um ecossistema natural, onde espécies da fauna e flora autóctones possam sobreviver e prosperar.
Os acampamentos de voluntários realizam-se de Sexta a Domingo, sendo a Sexta-feira para recepção dos participantes. O ponto de encontro é junto à Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo. A partir daqui asseguramos transporte até ao local do Acampamento e regresso. Durante os três dias da reflorestação garantimos refeições veganas/vegetarianas confeccionadas no acampamento (Pequeno-almoço, Almoço e Jantar).
Necessitas trazer tenda, saco-cama, o teu próprio prato, copo e talher, lanterna, termo, impermeável e roupa quente, botas ou galochas, instrumentos musicais, alegria e boas vibrações!!
Inscrições
Envia um e-mail para
colectivogerminal@hotmail.com indicando o fim-de-semana em que pretendes participar, mais nome e telefone e aguarda a nossa confirmação. A Inscrição tem um valor de 3€ a pagar aquando da chegada ao local de acampamento. Indica também donde te deslocas e se podes dar ou proocuras boleia que faremos os possiveís para facilitarmos as viagens.
Se não podes ou não queres participar nestas acções mas pretendes ser informado de próximas actividades, envia-nos um e-mail com teu contacto.

Colectivo Germinal - Associação Cultural

Rua Dr. Pedro Lemos nº 14, R/c 3200-237 LOUSÃ Telefones: 239422927 963605378

Espanha: desenvolve método para detectar pesticidas no azeite



Uma equipa de professores da área de Química Analítica da Escuela Técnica Superior de Ingenieros Agrónomos (ETSIA) da Universidade Politécnica de Valência (Espanha), desenvolveu um método que permite detectar a presença de resíduos de vários pesticidas de uso habitual na agricultura actual. Este sistema tem a novidade de que em menos de três horas dá resultados e permite aumentar os controles de qualidade do azeite para os agricultores, produtores e cooperativas de comercialização. O passo seguinte do desenvolvimento deste produto é adaptá-lo a outros alimentos.

Segundo Eva Brun, do grupo da Escuela Técnica Superior de Ingenieros Agrónomos, "o uso de determinados pesticidas na olivicultura é uma prática habitual. No entanto, a fim de aumentar a qualidade do produto é necessário saber os níveis que o azeite contém de determinados pesticidas, para rejeitar os lotes que ultrapassem os limites aceites. Assim, este sistema permite aos lagares aumentar e certificar a qualidade do produto.

Para chegar a este ponto, o Departamento de Química Analítica trabalhou durante mais de quatro anos e considera um avanço importante porque proporciona resultados muito rapidamente e a um custo muito baixo. Para a investigadora da ETSIA ", outra das vantagens deste sistema é que se pode usar em qualquer lugar, e com o tratamento de pequena amostra permite a análise de azeites, quer embalados ou nos pontos de produção, garantindo a segurança para o consumidor ", explica ele.

fonte: Agroportal

CAMINHADA pela simplicidade voluntária 2010

Vai-se realizar de 21 de Março a 13 de Abril, entre Viseu e Coimbra, a CAMINHADA pela simplicidade voluntária 2010.

http://caminhada2010.wordpress.com/

A ideia é criar um “espaço” de questionamento da vida moderna e do que realmente nos faz falta, procurar em conjunto novas soluções, e proporcionar a experiência de viver em harmonia com a natureza, ao seu ritmo, num ambiente de convivialidade.

Caminhar para deixar de correr!

Todos podem participar, é ABERTA e gratuita, passando por transportes públicos todos os dias, para que cada um caminhe o tempo que melhor se adapta a si.

Caminharemos com tudo o necessário á nossa sobrevivência, visitando quintas e projectos que partilham um espaço e um espirito connosco, por uma noite.

Por uma vida simples e solidária!

Construamos um novo presente.

O Papel da Mulher no Desenvolvimento Rural | 3 de Fevereiro de 2010 | Castro Verde

Rebentos de Salicórnia já deste ano, 2010

Estive hoje, 26 de Janeiro de 2010, na Salina Eiras Largas e verifiquei que já temos rebentos de salicórnia

Salicórnia á venda na loja online da Casa do Sal da Figueira da Foz


Salicórnia: 20 € / Kg (IVA inc)

A estes preços acrescem os portes de correio

Pedidos:

Tel: 929060517

e-mail
casadosal@gmail.com


HF111737

Informações sobre a Salicórnia

Feira do Queijo de Seia | 13 de Fevereiro de 2010

No Sábado que antecede o Carnaval, dia 13 de Fevereiro, o Município de Seia promove pelo 33º ano consecutivo a Feira do Queijo de Seia, evento que privilegia um dos mais emblemáticos produtos do concelho e da região, o queijo da serra da Estrela. Contando com a presença de produtores locais do queijo mais conhecido de Portugal, a iguaria de sabor inigualável poderá ser apreciada, durante toda a manhã, na já habitual mostra de queijo, promovida pela autarquia senense. Sendo que o queijo é o rei, não faltarão outros produtos regionais de qualidade, tais como o pão, o vinho, e o mel, para provar a excelência da gastronomia serrana, como assegura uma nota da autarquia. As mostras dos produtos regionais decorrerão na zona circundante ao mercado municipal e, à semelhança do ano passado, no largo da Câmara. Neste local terá ainda lugar uma representação daquilo que era o “mercado da vila” de Seia à meio século atrás. Num verdadeiro ambiente de cariz popular, não faltará a animação de rua promovida pelos ranchos folclóricos locais e outros grupos tradicionais. O certame conta ainda com a presença de outros expositores, contando para tal com a parceria da Associação de Artesãos da Serra da Estrela, da Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela e da Liga de Criadores e Amigos do Cão Serra da Estrela.

Rockola.fm en... la rueda de prensa "X 1 Fin - Juntos por el Sáhara"

Agricabaz e Casa do Sal da Figueira da Foz vão estar presentes na Feira do Queijo de Seia | 13 de Fevereiro de 2010

Bienvenue au Paradis

A Associação Integrar, através da sua Quinta dos Olivais, em Coimbra, é fornecedora do AgriCabaz


http://www.integrar.org/

Associação Integrar
(Sede Nacional)
Rua do Teodoro, nº 1
3030-213 Coimbra
Telef.: 239 705 697 / 239 723 705
Fax.: 239 713 782
Telem.: 914729357 / 969064529
Url: www.integrar.org
E-mail:
integrar@integrar.org

Quinta dos Olivais
Rua do Brejo
3000-082 Coimbra
Telem.: 913 616 236 / 917 972 859
E-mail:
quinta.news@integrar.org

No AgriCabaz tem os legumes biológicos para as primeiras sopas do seu bebé: batata, cenoura, Nabo, Alho Francês, maçã, abóboira, etc

clicar para ampliar

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIA NO DOMÍNIO DA SAÚDE

Estão abertas candidaturas ao II Programa de Acção Comunitária no domínio da Saúde para 2008- 2013, criado por decisão nº 1350/2007/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 23 de Outubro de 2007.

O II Programa de Saúde visa complementar, apoiar e valorizar as políticas dos Estados-Membros a nível da saúde, tendo como objectivos:
- Melhorar a segurança dos cidadãos em matéria de saúde;
- Promover a saúde, nomeadamente através da redução de desigualdades neste domínio;
- Gerar e divulgar informação e conhecimentos sobre a saúde.

Em 2008 serão privilegiadas acções que contribuam para:
- A melhoria da saúde dos cidadãos europeus, aferida quando possível através de indicadores, incluindo o indicador " Anos de Vida Saudáveis";
- A redução das desigualdades no interior de e entre regiões e os E-M da UE;
- Uma maior capacidade de desenvolvimento e execução de políticas efectivas de saúde pública, em particular nas áreas mais urgentes.

O prazo de candidaturas está aberto até ao dia 23 de Maio 2008.

Para obter informações sobre o referido programa poderá consultar a página da FPCEUP (item Bolsas I&D), no seguinte endereço: http://sigarra.up.pt/fpceup/noticias_geral.ver_noticia?p_nr=1278.


Com os melhores cumprimentos,
Emília Martins
SPAM - Serviço de Projectos e Apoio à Mobilidade
FPCEUP

Sogrape Vinhos adere à "Operação Polinizador"


A Sogrape Vinhos é a primeira empresa portuguesa do sector vitivinícola a aderir à “Operação Polinizador” – um projecto pioneiro que visa promover a biodiversidade nas vinhas através da estimulação do aumento de polinizadores, contribuindo assim para uma melhoria do ambiente e da sociedade.

Tomilho, rosmaninho e alecrim – estas são apenas algumas das plantas silvestres autóctones do Douro que serão plantadas nos taludes das vinhas da Quinta do Seixo em inícios de 2010. O objectivo? Aumentar a biodiversidade, nomeadamente no que diz respeito a espécies polinizadoras, como abelhas selvagens, borboletas e outros insectos polinizadores.

Uma medida inovadora em Portugal no sector vitivinícola, que tem várias vantagens: por um lado, promove o desenvolvimento de organismos que actuam como polinizadores naturais, com evidentes benefícios para o ambiente. Por outro lado, contribui também para a reintrodução da flora e da fauna autóctones do Douro, permitindo o aumento do conhecimento sobre esta última. Mais ainda, este projecto contribui também para uma maior consistência das produções em qualidade e quantidade - perante uma maior densidade de plantação, é natural uma maior densidade de raízes, cuja absorção de água permite que os solos se mantenham mais húmidos, e que actua ainda como um “esqueleto” que diminui a erosão destes últimos.

Francisco Ferreira, CEO da Sogrape Vinhos, afirma: “Como empresa produtora de vinhos líder em Portugal, pretendemos dar um exemplo positivo nas mais diversas áreas, sendo a prática de uma agricultura sustentável e integrada uma das nossas preocupações. Este é mais um passo pioneiro dado pela Sogrape Vinhos no sentido de ir ainda mais longe no que diz respeito a estas práticas, associando-se a um projecto que permite não só melhorar a produtividade das suas culturas, mas que acima de tudo contribui para a protecção do ambiente.”

Os vinhos com origem em uvas ao abrigo da “Operação Polinizador” serão facilmente identificáveis nos locais de venda através de um selo colocado nas garrafas.

Este projecto é promovido pela Syngenta, empresa líder mundial no negócio agrícola, que actua na área da investigação e desenvolvimento de sementes e produtos fitofarmacêuticos.

fonte: Sogrape Vinhos

http://pelanatureza.pt/agricultura/noticias/sogrape-vinhos-adere-a-operacao-polinizador

A Escola da Noite acolhe o Teatro de Montemuro com SALOON YÉ YÉ de Abel Neves no Teatro da Cerca de São Bernardo 29 e 30 Janeiro sexta e sábado 21h30


A Escola da Noite acolhe no Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB) nos próximos dias 29 e 30 de Janeiro, sexta e sábado, às 21h30, o Teatro de Montemuro com o espectáculo “Saloon Yé Yé”, de Abel Neves, com encenação de Graeme Pulleyn.
Para além do interesse em acompanhar o trabalho deste grupo (cuja primeira apresentação em Coimbra aconteceu em 1997, na sala que então A Escola da Noite ocupava no Pátio da Inquisição), com
“Saloon Yé Yé” o público da cidade aprofunda o conhecimento do teatro de Abel Neves, de quem, ainda o ano passado, A Escola da Noite apresentou “Este Oeste Éden”.
Desta vez, num registo cómico, Abel Neves transporta os espectadores até “algures na serra, num planalto remoto e quase desértico onde não passa ninguém” e onde “três audaciosos cowboys, mais um rapaz tocador de pianola e uma sedutora e exuberante, cantora coxa, amiga do pianista, empreenderam um negócio rendável”: o
“Saloon Yé Yé”.

Em plena crise, num lugar inóspito, no meio do nada, uma empresa que não é fantasma – um Saloon! – tenta prosperar com a sua actividade de serviço público, mas o ambiente não está de feição e o saloon conhece sucessivos donos que, disputando o poder à boa maneira do oeste selvagem, tentam impor a sua lei, mas nunca por muito tempo: incorrigíveis corruptos cedo têm o destino que sabem que merecem.
Catt Pingado, Kid Mocas, Débora Boy, Xerife Olívia, Susy Carioca, Teclas Man, Lulu Quem-me-dera, Speedy Meu, FredySnif e Lucas Rosinha, mais Cavaca, o cavalo com cornos de vaca, são as personagens desta história, destrambelhada, dos nossos dias... ao sabor do velho oeste americano.

Esta apresentação do grupo de Campo Benfeito em Coimbra acontece no âmbito da Plataforma das Companhias, a qual para além do Teatro de Montemuro e d’A Escola da Noite, é ainda integrada pelo Centro Dramático de Évora, Companhia de Teatro de Braga, ACTA e Teatro das Beiras. Esta estrutura informal existe desde 2004 e, para além da organização de festivais, edição e troca regular de espectáculos tem permitido co-produções entre os grupos.
Depois desta passagem por Coimbra “Saloon Yé Yé”, que estreou em Outubro passado no Teatro Municipal de Vila Real, é apresentado no Porto e em Lisboa.
O preço dos bilhetes varia entre 6 e 10 Euros.
Faça-nos companhia!

Isabel Campante
A Escola da Noite

E se encolhessem a tua casa?

Estou disponível para colaborar em projectos de desenvolvimento sustentável

de "baixo custo" e impacto ambiental, recuperação de solos, produção de alimentos e educação ambiental.

Experiências de estudo:
Coimbra - Escola superior de educação - licenciatura em animação socioeducativa
Dinamarca - "the necessary teacher training college"
Sintra - Curso de design de permacultura

Experiência de trabalho desenvolvida em lugares como
Chão Sobral - Oliveira do Hospital
Piódão - Arganil
Albufeira
Lisboa
Porto
Covas do Monte - São Pedro do Sul
Namaacha - Moçambique

Inspiração actual:

"Tree Crops, A Permanent Agriculture"
by
J. Russell Smith, Sc.D. 1929
http://www.journeytoforever.org/farm_library/smith/treecropsToC.html

Para mais informações contactar via 96 96 80 009
ou joaovox@yahoo.com

Grato pela atenção,

João Gonçalves

Assembleia Marcha Mundial das Mulheres | Mulheres em Marcha até que tod@s sejamos livres

No dia 17 de Janeiro (domingo) acontecerá, a Assembleia Geral (AG) da Marcha Mundial das Mulheres (MMM) Portugal na sede do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL), com início às 10h30m e com fim previsível às 17h30. Esta Assembleia dá continuidade ao processo de Assembleias iniciado em 2009 para a concretização das acções que vão decorrer ao longo de 2010, em Portugal e no resto do Mundo.

Associações e pessoas a título individual são muito bem-vindas! A vossa presença é imperiosa! Nesta AG definir-se-ão aspectos organizativos e ideias mais concretas sobre as acções de 2010. Nas Assembleias realizadas em 2009 em Coimbra e na Cova da Moura surgiram muitas ideias em torno dos 4 eixos - Bem Comum, Violência contra as Mulheres, Trabalho das Mulheres, Paz e Desmilitarização - mas agora é tempo de operacionalizar, de definir datas, locais, temas e responsáveis pela sua concretização, tendo em conta a especificidade e os interesses das diferentes organizações participantes!

2010 poderá ser um grande ano de afirmação da MMM a nível nacional e de afirmação das problemáticas e das lutas das mulheres portuguesas num contexto nacional, europeu e internacional! Para isso, há que contar com a participação, envolvimento e energia de todas/os!

Fotógrafo Renato Roque na Casa da Esquina

O fotógrafo Renato Roque estará na Casa da Esquina para apresentar a conferência fotográfica "O arquivo de Babel", a partir do seu projecto fotográfico de retrato "Espelhos Matriciais". Cruzando ciência e arte, o projecto de Renato Roque gera "um confronto com a percepção dos retratos que reproduzem, descaracterizando-os e recaracterizando-os em operações que nos confrontam com a própria natureza da percepção inerente a qualquer operação de identificação visual".
A iniciativa, gratuita e aberta ao público em geral,é da responsabilidade do THE PORTFOLIO PROJECT e insere-se na programação fotográfica da referida plataforma na Casa da Esquina durante 2010. E como uma imagem neste caso vale por muitas outras, fica a reportagem televisiva sobre o projecto e também o texto de João Fernandes.

THE PORTFOLIO PROJECT na Casa da Esquina

Morada: Rua Aires de Campos nº6, 3000-014 Coimbra (ao lado do Convento das Carmelitas)

Mail ; info@theportfolioproject.org

autocarros: 103, 04, 06

Curso: "Faça Agricultura Biológica no seu quintal" | Braga

O Núcleo de Braga da Quercus organiza o Curso “FaçaAgricultura Biológica no seu Quintal” a Palestra que terá 6 sessões, a realizar nos sábados 6/Fev, 27/Mar, 22/Mai, 29/Mai, 19/Jun e 17/Jul. e decorrrá das 14h30 às 17h30 na Quinta Pedagógica de Real, em Braga. Saiba aqui como participar!
Faça Download da Ficha de Inscrição.



La organización territorial del Desarrollo Local en España


Hoy, día previo a la celebración de los Reyes Magos, les dejo el anuncio de una interesante publicación que bajo la tutela del Dr. D. José-León García Rodríguez, profesor de la Universidad de La Laguna, sale a la luz estos días. Bajo el título de La organización territorial del Desarrollo Local en España (y algunos ejemplos iberoamericanos).

Este libro es el producto final de un Coloquio de Desarrollo Local que organizó el propio José-León García Rodríguez con la colaboración de Vicente Zapata Hernández y yo mismo. El índice es lo suficientemente sugerente para su lectura. Aquí se los dejo:

PRIMERA PARTE: Del Desarrollo Local al Desarrollo Territorial
1. Del espacio geográfico al territorio. El proceso de reorganización del territorio en España por Fermín Rodríguez Gutiérrez y Christine Delfour
2. Del espacio económico al territorio. El desafío de la territorialidad activa por José Ángel Rodríguez Martín
3. Territorio, superpoblación y sostenibilidad por Carlos Castilla Gutiérrez

SEGUNDA PARTE: Estructuras organizativas y componentes del Desarrollo Local
4. Organización e instrumentos del Desarrollo Local en España por Jaime Izquierdo Vallina
5. Dinamismo económico en las áreas de influencia de los parques nacionales de Andalucía. Apuntes sobre procesos de terciarización por María José Prados y María José Flores
6. Encajes, fisuras y solapamientos en la organización territorial del desarrollo local: el caso de Cuenca por Carmen Vázquez Varela y José María Martínez Navarro
7. La organización territorial del Desarrollo Local en Canarias por José-León García Rodríguez
8. La Red Canaria de Islas y Pueblos hacia la Sostenibilidad: Una estructura organizativa para la gestión del Desarrollo Local sostenible por Moisés R. Simancas Cruz
9. Estrategias de desarrollo rural en la isla de Tenerife por Carmen Calzadilla, Estefanía Daswani, Nuria González, Francisco Sáenz y Javier Suárez
10. Los emprendedores de turismo rural en las estrategias de Desarrollo Local: el caso de la isla de la Palma por Carlos Fernández Hernández
11. Patrimonio, paisaje y turismo. La reserva ambiental de San Blas, en el Sur de Tenerife, una experiencia de desarrollo endógeno por Miguel Francisco Febles Ramírez e Iván González Gómez

TERCERA PARTE: Geografía y Desarrollo Local
12. La formación para el Desarrollo Local por Javier Esparcia Pérez
13. La aportación de los geógrafos al Desarrollo Local en España. Logros y necesidades por Francisco Rodríguez Martínez
14. El patrimonio territorial como base de una propuesta de desarrollo rural por Olga Cos Guerra, Juan Carlos García Cordón, Ángela de Meer Lecha-Marzo y Leonor de La Puente Fernández
15. La cooperación para el Desarrollo Local a partir de redes de trabajo técnico por Vicente Manuel Zapata Hernández
16. La aplicación de los sistemas de información geográfica al estudio de la localización comercial. El caso de Santa Cruz de Tenerife por Miguel Francisco Febles, Francisco Yoel Abreu y Jonathan Antonio Sosa
17. El plan de desarrollo urbano local: fundamentos de la planificación urbanística y estratégica en Venezuela por María Gabriela Camargo Mora
18. El capital social como instrumento para el desarrollo local: el caso del distrito de Cachoeira en el municipio de Maranguape (Estado Ceará, Brasil) por Júlia Kátia Borgneth Petrus

El VII Coloquio de Desarrollo Local se celebró en la ciudad de La Laguna (Tenerife) los días 26, 27 y 28 de junio de 2008 y fue organizado por el Grupo de Trabajo de Desarrollo Local de la Asociación de Geógrafos Españoles, el Departamento de Geografía de la ULL y la Delegación Territorial del Colegio de Geógrafos de Canarias. El coloquio se propuso realizar una exploración (lo más exhaustiva que se pudo) de las estructuras organizativas, de las redes de cooperación y de las estrategías de desarrollo local constituidas, con el objeto de descubrir sus coincidencias y divergencias metodológicas. Dentro del mismo también hubo espacio para la exposición de algunas iniciativas profesionales relacionadas con acciones concretas.

En el mismo se han publicado dos resumenes de trabajos que hemos realizado en mi empresa en los últimos tiempos. Aquí les dejo los enlace por si les apetece echarles un vistazo y comentarme que les parecen.

Patrimonio, paisaje y turismo. La reserva ambiental de San Blas, en el Sur de Tenerife, una experiencia de desarrollo endógeno

La aplicación de los sistemas de información geográfica al estudio de la localización comercial. El caso de Santa Cruz de Tenerife

En cualquier de los pdf pueden encontrar la introducción del editor (José-León García Rodríguez) al libro. Saludos

Turismo, (...e não só...), Atenção à Tunísia!, por Joffre Justino

Regressei de umas férias na Tunísia e achei que era útil reflectir convosco sobre esta minha experiencia tunisina, em especial porque a problemática do Turismo é parte importante da minha vida profissional, na EPAR, Escola Profissional Almirante Reis.

A actividade turística representa cerca de 10% do PIB em Portugal, pelo menos e países como a Tunísia deveriam ser atentamente estudadas por quem entende a importância de aprendermos com os concorrentes, por forma a melhorarmos as nossas prestações junto dos Turistas, nossos clientes.

Eis porque me pareceu ser importante reflectir sobre estes sete dias “tunisinos” que tive...

A Tunísia, país islâmico, para 90% da sua população, recebia em 2005 cerca de 6 milhões e 378 mil Turistas e recebeu em 2009 até Novembro 6 milhões e 495 mil Turistas, o que permite ao Governo tunisino pensar que terminará o ano de 2009, um ano de Crise Mundial e de recessão no Turismo Mundial, com perto de 6 milhões e 800 mil Turistas ficando acima de 2007 e bem perto dos valores de 2008, os mais elevados de 2005 a 2009.

Entretanto, a Tunísia surge como alternativa turística aos países mediterrânicos e sul atlânticos, como Portugal e, como se vê, pelo seu crescimento na actividade turística, mostra que tem potencial para o ser. De facto, a Tunísia surge como um país de Turismo de Sol e Praia, como um país com fortes tradições, com um Património, Material e Imaterial, bastante rico.

Tal qual Portugal.

Por ora, a Tunísia apresenta-se, no plano da actividade Turística, enquanto um país com 11/12 meses de sol e praia, contra os 6 de Portugal, enquanto um país de Turismo barato, bastante mais que Portugal diga-se, com meios de mobilidade de qualidade aceitável, com produtos hoteleiros de qualidade, em média, superior à portuguesa, e com um potencial no Turismo de Compras que supera o português, pelo gozo que dá o negociar com os tunisinos, bons e delicados comerciantes.

Os vinhos tunisinos são mais fracos que os portugueses, mas também bastante mais baratos, a comida tunisina não é tão rica quanto a portuguesa mas é bastante aceitável e no plano da chamada cozinha internacional, de hotel, não perdem face aos cozinheiros portugueses.

A riqueza do Património Construído tunisino é significativa, relevando bem as presenças de múltiplos povos, fenícios, romanos, turco-otomanos, e está preservado, tanto ou melhor que o Património Construído em Portugal.

No plano da segurança dos Turistas em nada a Tunísia está longe de Portugal a não ser em um aspecto – o carácter islâmico do país, permeável portanto para as mentalidades dos países dominantes no envio de Turistas para outros países, ao temor de ataques terroristas...

No entanto é bem visível a liberalidade islâmica na Tunísia – por entre as inúmeras voltas que dei entre Cartago e Monastir, diria que 90% das Jovens Tunisinas não usa qualquer véu a esconder os seus lindos cabelos, e que cerca de metade das Adultas também não tapa os seus cabelos nas suas actividades nas ruas, sinal de grande distensão religiosa neste país. Ainda que seja verdade que nos cafés e restaurantes e há muitos, só em duas situações vi nos mesmos uma mulher, sendo que em uma delas a mesma se encontrava, somente, de pé, à porta.

Nos Hotéis, quer naquele onde estive quer tendo em conta as descrições de outros turistas portugueses sobre os seus Hotéis, a existência de Animadores, de qualidade, torna a presença nos mesmos num enorme prazer.

De facto, os Animadores lidam com Crianças e com Adultos, em 4 línguas europeias, dançam e animam as noites tal qual animam actividades desportivas nos espaços de lazer e são sem, dúvida um especial vantagem competitiva da Hotelaria Tunisina, face à portuguesa, basicamente falha neste campo.

Diria que não há um Hotel de 4 estrelas e mais que não tenha consigo uma equipa de Animadores de boa qualidade.

Os empregados de Bar e Restaurante falam relativamente bem pelo menos 2 línguas europeias e são de um profissionalismo a toda a prova.

Os taxistas são simpáticos, falam bem o francês, compreendem o espanhol e o inglês, pelo menos, bem ao contrário dos taxistas portugueses e têm em geral noções bem maiores que os taxistas portugueses sobre a sua História e o seu Património.

Nos espaços museológicos que visitei senti no entanto as mesmas falhas dos espaços portugueses, sendo que o acompanhamento dos Turistas está entregue a tunisinos que não me pareceu estarem qualificados para estas funções, nem serem autênticos profissionais mas sim aparentam ser “aproveitas” de uma área de negócio em aberto.

Visivelmente apostam, como Portugal, no Turismo de Golfe e no Turismo de Eventos.

Diria pois que Portugal tem na Tunísia um importante Concorrente, tendendo, a prazo a ter, aí, também, um Mercado para a Promoção Turística, desde que se entenda, em Portugal, as afinidades existentes no espaço mediterrânico e sul atlântico e, daí, as Oportunidades Turísticas geradas e por explorar.

Desde que em Portugal os empreendedores turísticos entendam que não é possível manter um Mercado, de cariz europeu, (com salários mais próximos dos europeus que os 150 euros/mês para um Animador, ou os 100 euros/mês para um profissional de bar e Restaurante), sem que se tenha em conta a diferenciação que actividades de Animação geram, nas unidades hoteleiras e nas ruas, ou que actividades de proximidade com os Produtos centrados no Património Material e Imaterial podem gerar dando ao Turismo Português, centrado num espaço com mais de 8 séculos de História, com a presença visível, ou lendária, de fenícios, romanos, judeus, “árabes”, negros, índios, asiáticos, ingleses, franceses, (dos Cruzados aos ocupantes das Invasões Francesas e Inglesas do século XIX), etc.

Fiquei, note-se, bastante satisfeito com a oportunidade que a classe politica nos dá, em Portugal, de estabilidade, ao aceitar negociar, pelo menos PSD e PS, este próximo Orçamento de Estado, elemento central de combate à crise vivida, sendo certo que preferia que toda ela aceitasse a importância de um Governo de Salvação Nacional, ou, se preferirem, de Concertação Nacional, para superar esta mesma Crise.

No entanto, bem mais satisfeito ficaria se esta nova abertura potenciasse novos diálogos entre os Parceiros Sociais, em nome da estabilidade no Emprego e nos Rendimentos das Famílias, como na Inovação e desenvolvimento do Empreendedorismo, com o surgimento de soluções temporárias agregadoras de vontades nacional comunitárias dinâmicas capazes de elevar a competitividade em Portugal e no espaço de expressão portuguesa.

O que implica em apostas mais sérias, do Estado, mas também dos Empresários e dos Trabalhadores na Qualificação, Escolar e Profissional, como em apostas mais sérias na abertura efectiva e no incentivo à economia do 3º sector, social, para além do apoio aos lobbies tradicionais, com politicas também tradicionais, neste mesmo 3º sector.

Ora, no Turismo, o 3º sector deveria ter um papel que não está a ter, de agregação de Pessoas capazes de desenvolverem dinâmicas que permitam o aproveitamento do potencial de grupos de Jovens, saídos de Cursos de Teatro, de Musica, de História, de Animação, de Turismo.

Tal, apoiados pelas Câmaras Municipais, pelas Juntas de Freguesia, em parceria com as associações de hoteleiros, permitiriam actividades de Animação de rua, e mesmo, de forma negociada, de Hotéis, gerando actividades empreendedoras com fortes características inovadoras.

É certo que existem elementos histórico turísticos que exigem investimentos de maior monta – assim, em Sousse, vi não uma, nem duas, mas cinco caravelas, lindamente decoradas, prontas para passeios/animações no mar, enquanto que em Lisboa por exemplo conheço uma manhosa caravela montada para a Expo98, para o maior estuário da Europa!

Não mudemos não esta mentalidade e espantemo-nos com o crescimento Tunisino e o decrescimento português....

Joffre Justino

Padre de Familia - Zona Cero

Good...Better...Even Better



Want to do good? Everyone wants to do good, but when it comes to global poverty, we need to do even better. Acumen Fund has a solution to poverty that lasts. One that helps build business that serve the poor by providing choice, not charity, and dignity, not dependence. Join us, and let's show the world an even better way to make a lasting difference! Please share this video with your friends, family, and colleagues.

Visit http://www.acumenfund.org/evenbetter to learn more about how Acumen Fund is tackling poverty differently and ways which you can show your support.

Casa da Esquina em Coimbra: PROGRAMAÇÃO | “5ª de imagens – Ciclo de Cinema e Fotografia”

Ao longo de 2010 o THE PORTFOLIO PROJECT e a Casa da Esquina apresentarão, durante 45 semanas, o ciclo de Cinema e Fotografia “5ª de imagens” que abordará as diferentes formas de interacção entre imagem fotográfica e cinematográfica no grande ecrã.
No primeiro trimestre do ano o ciclo revela quatro fotógrafos que também são cineastas – William Klein, Raymond Depardon, Agnès Varda e David LaChapelle – que constituirão o ponto de partida para a reflexão sobre a cumplicidade entre as duas práticas artísticas.
Nos meses seguintes a programação apresentará documentários sobre consagrados fotógrafos internacionais entre os quais Henri-Cartier Bresson, Robert Doisneau, Annie Leibovitz, Leni Riefenstahl, Nobuyoshi Araki e James Nachtwey bem como filmes de ficção em que o papel da fotografia ou do fotógrafo tenha um relevo especial.

O acesso à referida programação será totalmente gratuito para os membros do THE PORTFOLIO PROJECT e todas as projecções serão seguidas de uma conversa informal entre os espectadores.

As sessões terão lugar todas as 5ªs feiras, exceptuando durante o mês de Agosto, às 22 horas na Casa da Esquina, em Coimbra.


Janeiro 2010 | Ciclo William Klein (em versão original, não legendados)

Filmes | Sessões às 22h

dia 7 Janeiro | “Le Messie”

dia 14 Janeiro | “Muhammad Ali the Greatest”

dia 21Janeiro | “Grands soirs et petits Matins”

dia 28 Janeiro | “The French”


Fevereiro 2010 | Ciclo Raymond Depardon (em versão original, não legendados)

Filmes | Sessões às 22h

dia 4 Fevereiro | “La vie moderne”

dia 11 Fevereiro | “San Clemente”

dia 18 Fevereiro | “Urgences”

dia 25 Fevereiro | “Reporters”


Março 2010 | Sessões às 22h

Filme | (em versão original, não legendado)

dia 4 - “Rize”

Sobre Agnès Varda |

Filmes | Ciclo Agnès Varda | Sessões às 22h

dia 11 Março | “Os respigadores e a respigadora”

dia 18 Março | “Varda Tous Courts” (Ydessa, les ours, et etc… | Ulysse | Salut les Cubains) | (filmes em versão original, não legendados)

dia 25 Março | “Daguerréotypes” (versão original, não legendada)


CONTACTOS | Casa da Esquina

Morada: Rua Aires de Campos nº6, 3000-014 Coimbra (ao lado do Convento das Carmelitas)

Telefone: 239041397/ Telem:962732563

Mail: geral@casadaesquina.pt

autocarros: 103, 04, 06

Os vírus informáticos mais curiosos de 2009

A empresa espanhola de segurança informática PandaLabs elaborou uma lista com os vírus informáticos que mais se destacaram este ano.

A PandaLabs recebe por dia mais de 55 mil novos vírus, que classifica desde o "mais pesado" ao "mais viajante". Os exemplos que aponta num estudo não foram escolhidos pela capacidade de propagação do vírus, mas sim pela sua originalidade.

Deste 'ranking' consta o vírus considerado o "mais pesado", o Conficker.C, que surgiu a 31 de Dezembro de 2008, e que durante este ano causou graves problemas tanto a empresas como a particulares.

Outro exemplo é o Samal.A, conhecido por vírus do Harry Potter. Embora não tenha qualquer ligação à famosa personagem de ficção do jovem mago, este vírus, quando o PC está contaminado, faz surgir uma mensagem que diz: "ah ah não disseste a palavra mágica!" e o cursor fica à espera que o seu utilizador escreva algo, para depois rematar "Samael chegou, e este é o fim".

Já o Sinowal.VZR conseguiu infectar milhares de computadores disfarçando-se de bilhetes electrónicos de avião, supostamente adquiridos por um utilizador descuidado. Este é considerado o mais "viajante" de 2009 pela PandaLabs.

Cristina Barreto
29/12/09 16:05

Fonte: http://economico.sapo.pt/

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails